Acesso ao principal conteúdo
Angola

Julgamento dos activistas angolano : alegações finais adiadas

REUTERS/Herculano Corarado

As alegações finais do julgamento dos 15+2 activistas angolanos acusados de actos de rebelião e preparação de golpe de Estado foi novamente adiado para a próxima segunda-feira, 21 de Março.

Publicidade

Um dos quatro advogados que defende os 15+2 activistas, que estão a ser julgado desde meados do mês de Novembro passado, David Mendes foi chamado para ser declarante no processo em que defende os activistas Nito Alves, Rosa Conde e Laurinha Gouveia.

O advogado angolano recusou apresentar-se no tribunal como declarante à semelhante de várias personalidades angolanas, nomeadamente, por outros membros do fictício governo de salvação nacional.

"Como ele está como advogado ele não pode ser declarante. Ele já fez uma carta ao próprio tribunal a dizer que havia incompatibilidade dele ser advogado e declarante ao mesmo tempo para poder acusar os seus constituintes. Mesmo assim o tribunal não levou em consideração a sua petição. Ele fez uma outra carta à Ordem dos Advogados para expor a questão", explicou o Presidente da ONG de defesa de direitos humanos angolano Salvador Freire.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Faça o download da aplicação

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.