Acesso ao principal conteúdo
ANGOLA/OMS

Angola: Faltam vacinas para combater a febre amarela

Margaret Chan, directora-geral da OMS, Organização mundial da saúde.
Margaret Chan, directora-geral da OMS, Organização mundial da saúde. OMS

Angola precisa de vacinar toda a sua população para combater a vacina amarela. Dos 25 milhões de doses de vacinas necessários só foi possível obter entre 6 e 7 milhões de lotes. Dados avançados pela OMS na semana em que a sua directora-geral, Margareth Chan, se deslocou ao país.

Publicidade

Angola vive o maior surto de febre amarela das últimas três décadas, com registo de cerca de 500 casos confirmados e 1,5 mil doentes suspeitos, mais de 218 pessoas já morreram, 225 de acordo com a Angop, Agência angolana de informação.

A OMS aposta na prevenção para evitar o alastramento a outras regiões do país, fora da capital, e dos Estados limítrofes.

Neste momento 16 províncias angolanas teriam registado casos.

Pelo que a Organização mundial da saúde apela a que os visitantes sejam vacinados antes de equacionarem uma deslocação a Angola.

Esta semana Margareth Chan deslocou-se a Angola para se inteirar da dimensão do problema e apoiar as autoridades nacionais, acompanhada da directora da organização para África, Matshidiso Moet.

Hernando Agudelo, representante da OMS em Angola, em declarações à Rádio ONU, enfatizou a importância desta deslocação e deu-nos conta da dimensão do problema.

 

selfpromo.newsletter.titleselfpromo.newsletter.text

selfpromo.app.text

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.