Acesso ao principal conteúdo
Angola

OMS ajuda Angola no combate à febre amarela

Imagem de Arquivo.
Imagem de Arquivo. Marvin Recinos/AFP

A febre amarela continua a espalhar-se em Angola, no entanto a OMS (Organização Mundial da Saúde) teme que possa espalhar-se para outros países, havendo já casos da doença no Quénia e na República Democrática do Congo por exemplo.

Publicidade

Angola continua confrontada com uma epidemia grave de febre amarela, que começou em Dezembro nos arredores de Luanda e que se estendeu a 16 das 18 províncias do país. Desde Dezembro a febre amarela causou a morte de 250 pessoas em Angola.

A OMS decidiu reagir e vai ajudar Angola. Nas próximas duas semanas, em Huambo e em Benguela, devem ser imunizadas cerca de 2,1 milhões de pessoas em cinco distritos.

A Organização Mundial da Saúde afirmou que certos países como o Quénia ou ainda a República Democrática do Congo, bem como a China já registaram casos de febre amarela que teriam sido importados de Angola. A preocupação é que o vírus se possa espalhar.

O representante da OMS em Angola, Hernando Agudelo, disse à Rádio ONU que todo o território angolano deve ser coberto pela iniciativa de imunização, liderada pelo Ministério da Saúde.

Tomou-se a decisão de fazer uma campanha de vacinação massiva em todo o país para garantir que o país fique protegido. A vacina não está imediatamente disponível para todas as províncias. Nas áreas onde há transmissão local já está disponibilizada. A campanha está a ser feita nestas duas províncias e depois vamos continuar em todas as cinco províncias e 11 municipalidades.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.