Acesso ao principal conteúdo
Angola

Angola quer travar mercado paralelo de divisas

Marcos Santos/USP Imagens

 O Banco Nacional de Angola deparado com uma forte escassez de divisas devido à queda dos preços do petróleo, quer que a polícia combata o mercado informal de câmbios.

Publicidade

O Banco Nacional de Angola quer que a polícia intensifique o combate à venda ilegal de dólares nas ruas, actividade praticada sobretudo pelas chamadas "kinguilas", as vendedeiras informais, que têm sido perseguidas desde que a crise financeira começou no país, tendo mesmo uma falecido, depois de ter sido atropelada quando fugia  da polícia.

O Comité de Política Monetária do BNA que tomou esta medida, refere ainda que as "kinguilas" não pagam impostos, nem declaram as compras e vendas de divisas. 

Angola que se defronta com uma grave escassez de divisas, reduziu sensivelmente a quantidade de divisas autorizadas a sair do país e os cidadãos procuram-nas logicamente na rua.

As "kinguilas" vendem no mercado paralelo o dólar a quase três vezes mais do que a taxa oficial de câmbio que ronda os 166 kwanzas para 1 dólar enquanto na rua 1 dólar vende-se por vezes a mais de 500 kwanzas.

Ogoverno mantém artificialmente o câmbio do dólar para impedir o aumento da inflação, uma medida criticada por vários economistas.

O "negócio" da venda informal de divisas envolve alguns funcionários de bancos comerciais que colaboram com as "kinguilas" vendendo-lhes ilegalmente grandes quantidades de divisas.

Entretanto foram apreendidos este fim de semana em Luanda 120 mil falsos dólares norte-americanos e detidas cinco pessoas (entre as quais dois cidadãos cubanos) acusados de falsificação de dinheiro.
 

 

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.