Acesso ao principal conteúdo

Andebol: Angolanas tentam presença inédita nos quartos

A comitiva angolana no Rio2016
A comitiva angolana no Rio2016 RFI/Élcio Ramalho

A selecção feminina de andebol de Angola tenta esta noite o primeiro apuramento de sempre para os quartos-de-final de um torneio olímpico. Angola defronta a Espanha a contar para a quinta e última jornada do grupo A da categoria.

Publicidade

A partir das 23h50, hora angolana, as angolanos tentarão levar mais alto o andebol feminino nacional. Perante a Espanha, dispõem da derradeira oportunidade de garantir o acesso aos quartos-de-final da competição.

Depois de ter perdido contra o Brasil, na passada sexta-feira, e contra a Noruega e de ter ganho à Roménia e ao Montenegro, as Pérolas angolanas estão na quarta posição do grupo A. Das seis equipas que compõem este grupo, só os quatro primeiros carimbam o apuramento.

O já apurado Brasil já disputou a última jornada tendo vencido hoje Montenegro por 29-23 e assumido a liderança do grupo. A Noruega, bi-campeã olímpica, pode voltar ao primeiro lugar se esta noite vencer a Roménia. Uma vitória da Noruega favorece as angolanas que têm os mesmos pontos que as romenas que estão no quinto lugar. Mesmo perdendo, Angola passaria aos quartos. O empate também garante o apuramento mas não é do interesse da Espanha, terceira também com quatro pontos, caso a Roménia ganhe à Noruega.

No boxe, o pugilista cabo-verdiano Davilson Morais não conseguiu aceder à segunda fase ao perder por KO na primeira ronda dos preliminares.

Na sua estreia olímpica e depois de ficar de fora no primeiro combate, fruto do sorteio, Davilson, da categoria de + 91 quilos, teve como adversário o britânico Joseph Joyce.

Apesar da derrota, o pugilista cabo-verdiano entra para a história como o segundo puglista cabo-verdiano a estar presente nos Jogos Olímpicos, depois de Flávio Furtado, o actual presidente da Federação Cabo-verdiana de Boxe, que representou o arquipélago nos Jogos de 2004 em Atenas.

Davilson Morais disse à RFI sentir-se orgulhoso por ter sido representado o país.

No atletismo, Cabo Verde e Moçambique disputam esta segunda-feira a primeira eliminatória dos 400 metros barreiras em masculinos com Jordin Andrade e Kurt Couto, respectivamente.

Também esta seguntda-feira, é a vez do português Nélson Évora entrar na pista à procura de uma medalha no triplo salto. Depois de ter falhado os Jogos de 2012 de Londres devido a lesão, o atleta de origem cabo-verdiana procura agora repetir o feito de Pequim 2008, a conquista da medalha de ouro.

No tripo salto femino, as portuguesas Patrícia Mamona e Susana Costa disputam esta noite a final. Mamona, de origem angolana, sagrou-se campeã europeia em julho passado.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.