Acesso ao principal conteúdo

Cabo Verde deixa Rio com boa prestação no atletismo

Jordin Andrade, atleta cabo-verdiano
Jordin Andrade, atleta cabo-verdiano fecebook/jordin andrade

Cabo Verde dizia hoje adeus ao Rio com a prestação de Elyane Boal na ginástica rítmica. Moçambique e Guiné-Bissau ainda estão em competição, na canoagem e na luta livre, respectivamente.

Publicidade

A cabo-verdiana Elyane Boal encerrava ao início desta noite de sexta-feira a participação olímpica de Cabo Verde. Na ginástica rítmica individual, Boal estava no último lugar da competição ao cabo de duas das quatros prestações no tapete e muito provavelmente ficaria nessa posição atendendo às diferenças de desempenho.

Mas Cabo Verde teve motivos para sorrir nestas Olimpíadas e pode dizer-se que o balanço é claramente positivo. O atletismo trouxe os melhores desempenhos. Jordin Andrade tornou no primeiro cabo-verdiano a disputar as meias-finais de uma prova olímpica. Nos 400 metros barreiras ficou em 6° na segunda meia-final e em 16° entre os velocistas das meias-finais. Também a velocista Lidiane Neto esteve em grande nos 100 metros. Apesar de se ficar pela fase preliminar, bateu o recorde nacional que detinha.

A delegação de cinco desportistas contou ainda com Davilson Morais e Maria Andrade. O segundo pugilista cabo-verdiano a participar nas Olimpíadas foi eliminado nos oitavos-de-final na categoria +91 quilos e a lutadora de Taekwondo ficou-se pela mesma fase em -49 quilos.

Em jeito de balanço, falámos com Fernando Jorge Tavares Pinto, presidente da federação cabo-verdiana de Atletismo, que se diz satisfeitíssimo pela feitos inéditos da modalidade nestas Olimpíadas.

Além de Cabo Verde, Moçambique e Guiné-Bissau também estiveram em competição esta sexta-feira, na canoagem e na luta livre, respectivamente.

O lutador guineense Augusto Midana ficou-se pelos oitavos-de-final na categoria -74 quilos. Na mesma modalidade, mas no domingo a partir das 11h30 (Guine-Bissau) o seu compatriota Bedopassa Buassat Djonde tenta a qualificação em -97 quilos.

Por seu turno, os moçambicanos Joaquim Lobo e Mussa Chamaune falharam o acesso à final em canoa dupla C2 1000 metros mas disputam a final "de consolação" ou pequena final este sábado a partir das 14h15 (Moçambique). Isto depois de Lobo ter sido ontem afastado da competição em canoa individual C1 200 metros e de Chamaune ter tido esta segunda-feira o mesmo destino na segunda meia-final de canoa individual C1 1000 metros ao ser 8° (15° no cômputo geral das meias-finais).

A participação afro-lusófona nas Olimpíadas continua assim amanhã com os canoístas moçambiacanos e termina domingo com a luta livre guineense. Angola e São Tomé e Príncipe já se despediram dos Jogos esta quarta-feira.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.