Acesso ao principal conteúdo
Angola

Registo eleitoral criticado mas em curso em Angola

O edifício-sede da Assembleia Nacional de Angola que acolherá novos deputados de eleições gerais de 2017
O edifício-sede da Assembleia Nacional de Angola que acolherá novos deputados de eleições gerais de 2017 PAULO CUNHA/LUSA

Oposição angolana continua a denunciar irregularidades no processo de registo eleitoral, mas as autoridades angolanas, respondem que apesar de dificuldades tudo decorre na normalidade até ao seu desfecho.

Publicidade

A actualização do registo eleitoral continua o seu percurso normal, em Angola, afirmam as autoridades responsáveis, apesar de críticas e denúncias de irregularidades da oposição agolana.

Por exemplo, só nos primeiros 8 dias deste processo, já foram registados cerca de 250 mil eleitores em todo o território de Angola, sublinham as autoridades angolanas.

O secretário de Estado angolano para os assuntos Institucionais, Adão de Almeida, reconhece que há anomalias, mas que serão corrigidas ao longo do processo em curso.

No quadro das eleições gerais de 2017, há duas fases deste processo de recenseamento eleitoral, a primeira termina em dezembro e a segunda fica concluída no primeiro semestre do mesmo ano dessas eleições que ocorrerão no segundo semestre, ainda sem data marcada.

As autoridades angolanas prevêem que durante este processo de registo eleitoral sejam inscritos cerca de 9 milhões angolanos potenciais eleitores das eleições de 2017.

De Luanda, o nosso correspondente, Avelino Miguel.

 

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Faça o download da aplicação

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.