Acesso ao principal conteúdo
Desporto

As esperanças afrolusófonas nos Jogos Paralímpicos

Áudio 05:59
Tocha paralímpica. 4 de Setembro de 2016.
Tocha paralímpica. 4 de Setembro de 2016. AFP/Miguel SCHINCARIOL

Contagem decrescente para o pontapé de saída dos Jogos Paralímpicos do Rio de Janeiro que começam esta quarta-feira e decorrem até 18 de Setembro. Cabo Verde, Angola, São Tomé e Príncipe, Guiné-Bissau e Moçambique também vão participar e há quem acredite na subida ao pódio.

Publicidade

Nesta edição de desporto vamos conhecer as delegações lusófonas de África que participam nos Jogos Paralímpicos do Rio de Janeiro que começam esta quarta-feira e decorrem até 18 de Setembro.

Cabo Verde com Márcio Fernandes e Gracelino Barbosa

Cabo Verde espera levar pelo menos uma medalha para casa com a participação de dois atletas.

Márcio Fernandes conquistou a medalha de ouro no lançamento do dardo, durante o Campeonato do Mundo de Desporto Adaptado no Qatar. O atleta entra em prova (lançamento de dardo F42/43/44) na próxima sexta-feira, 9 de Setembro.

Gracelino Barbosa detém vários recordes e conquistou a Medalha de Ouro nos 400 metros barreiras no IX Campeonato do Mundo em Praga, em 2013. O atleta vai enfrentar a primeira fase dos 400 metros (T20) esta quinta-feira (se apurado, a final é na sexta-feira).

A RFI falou com os dois atletas e com Orlando Mascarenhas, secretário-geral do Comité Paralímpico de Cabo Verde.

 

Esperança Gicasso, José Chamoleia, Octávio dos Santos e Bifilia Buyo representam Angola

Angola vai competir pela sexta vez nos Jogos Paralímpicos e leva quatro atletas: Esperança Gicasso, José Chamoleia, Octávio dos Santos e Bifília Buio.

Esperança Gicasso vai enfrentar as eliminatórias dos 100 metros na quinta-feira (meia-final e final no dia seguinte), as eliminatórias dos 200 metros no dia 12 (final dia 14) e a primeira fase dos 400 metros a 14 de Setembro (meia-final e final a 16 de Setembro).

José Chamoleia e Octávio dos Santos vão enfrentar as eliminatórias dos 100 metros a 10 de Setembro (meias-finais e final no dia seguinte), as eliminatórias dos 200 metros a 13 de Setembro (meias-finais a 14 e final a 15) e as eliminatórias dos 400 metros a 16 de Setembro (a final é a 17 de Setembro).

Befília Buio é a actual recordista africana nos 800 metros e entra em prova para as eliminatórias dos 400 metros a 14 de Setembro (meias-finais e final a 16 de Setembro), enfrentando as eliminatórias dos 1500 metros a 15 de Setembro (a final disputa-se a 18 de Setembro).

A RFI falou com Lionel Pinto, presidente do comité paralímpico de Angola e do comité paralímpico africano.

 

Alex dos Anjos vai levar a bandeira de São Tomé e Príncipe

A representar São Tomé e Príncipe vai estar o velocista Alex dos Anjos, a 16 de Setembro, nos 400 metros (T45/46/47), sendo a final a 17 de Setembro.

Filipe Neto, chefe da delegação são-tomense, disse à RFI que o objectivo é “ir o mais longe possível”.

 

Guiné-Bissau representada por César Lopes Cardoso

 A Guiné-Bissau vai estar representada por César Lopes Cardoso. O atleta já tinha participado nos Jogos Paralímpicos de Londres em 2012 e vai entrar em prova no sábado, 10 de Setembro, para as eliminatórias dos 100 metros (T45/46/47). A final no dia seguinte, em caso de apuramento.

Mussum Nanduk, presidente do comité paralímpico da Guiné Bissau, diz que “o mais importante é a presença” nos jogos.

 

Moçambique com Edmilsa Governo

Moçambique vai ser representado pela atleta Edmilsa Governo, de 18 anos, que conquistou três medalhas de ouro nos Jogos da CPLP, realizados entre 17 e 24 de Julho na Ilha do Sal, em Cabo Verde. A atleta enfrenta as eliminatórias dos 100 metros esta quinta-feira (meias-finais e final a 9 de Setembro) e no dia 15 vai ter a primeira fase dos 400 metros (meias-finais e final a 17 de Setembro).

 

Guiné-Bissau é o único país afrolusófono apurado para a CAN

No futebol, a Guiné-Bissau é o único país da África lusófona a marcar presença na fase final da CAN, que se disputa em Janeiro de 2017, no Gabão. A Guiné-Bissau perdeu frente à República do Congo, por 1-0, no último jogo do Grupo E de qualificação para a CAN, mas já tinha garantido a presença na fase final.

Cabo Verde perdeu a possibilidade de se apurar para a CAN, este sábado, após a derrota com a Líbia (1-0), na última jornada da ronda de apuramento.

Por outro lado, a qualificação de Portugal para o Mundial'2018 arranca esta terça-feira, altura em que a Selecção das Quinas defronta a Suíça, em Basileia.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Faça o download da aplicação

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.