Acesso ao principal conteúdo
Angola

Falta de chuva provoca fome em Cunene em Angola

Situação das províncias de Cunene e Huíla em Angola onde a falta de chuva provoca fome e mortos
Situação das províncias de Cunene e Huíla em Angola onde a falta de chuva provoca fome e mortos DR

Populações da província de Cunene, em Angola, estão de novo a ser vítimas da fome devido à falta de chuva e seca, situação que já provocou 100 mortos, sobretudo crianças, mulheres e velhos, segundo autoridades sanitárias locais.

Publicidade

As autoridades sanitárias na província de Cunene, em Angola, deram conta de 100 mortos devido à fome no sul de Angola, zona onde a seca é recorrente, assim como a morte de crianças, velhos e mulheres.

Há vários anos que ciclicamente províncias do sul e sudoeste de Angola, sofrem com a falta de chuvas e consequentemente a seca e problemas com as colheitas, provocando assim mortes nas populações locais.

Para o Padre Pio Wacussanga, Pároco de Nossa Senhora de Fátima, do Município dos Gambos, na província da Huíla, vizinha do Cunene, o facto é que há fome há vários anos na região e com a falta de chuva, as pessoas já chegam à sua localidade pedindo ajuda alimentar.

"Desde 2012, as pessoas nunca mais conseguiram fazer reservas robustas, para poderem prover em alimentos e então há um grande défice de alimentos".

E esta situação ocorrida na província de Cunene, tem  consequências negativas no município dos Gambos, na província vizinha da Huíla, sublinha o pároco local, Pio Wacussanga.

"Alguns grupos de pessoas não aparecem quando há fartura de cereais; agora já começam a aparecer alguns, como algumas senhoras para gerarem e a vender panelas procurando trabalhos eventuais e à procura de alimentos.

Ouça aqui a entrevista à RFI do padre Pio Wacussanga, Pároco de Nossa Senhora de Fátima, do Município dos Gambos, na província da Huíla, em Angola.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Faça o download da aplicação

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.