Acesso ao principal conteúdo
ANGOLA

Angola: UNITA pede auditoria a processo de registo eleitoral

A UNITA, maior partido da oposição em Angola, pediu ontem que seja aberta uma auditoria acerca do processo de registo eleitoral.
A UNITA, maior partido da oposição em Angola, pediu ontem que seja aberta uma auditoria acerca do processo de registo eleitoral. Wikipedia

 A UNITA pede uma auditoria internacional ao processo de registo eleitoral que terminou na passada sexta-feira. Quase 10 milhões de angolanos se registaram, um número que o maior partido da oposição em Angola considera "questionável".

Publicidade

 A UNITA, maior partido da oposição em Angola, pediu ontem que seja aberta uma auditoria acerca do processo de registo eleitoral. Em causa estão os números revelados (mais de 9 milhões de angolanos registados). Vitorino Nhany, secretário da UNITA para os assuntos eleitorais, considera que este número "não corresponde ao número de cidadãos eleitores mas sim a processos eleitorais". 

O maior partido da oposição considera também que o actual registo eleitoral não foi democrático já que não seguiu a Constituição. Isto deve-se sobretudo ao facto de ter sido levado a cabo por um órgão do poder Executivo. O que, segundo Vitorino Nhany, levou a que tenham havido debilidades no processo: "há cidadão que têm mais de um cartão de eleitor, outros há que tem o mesmo número de cartão".

De realçar que, em 2012, já tinha sido realizada uma auditoria ao Ficheiro Informático Central do Registo Eleitoral (FICRE), tendo sido reveladas sérias anomalias na base de dados. No entanto, segundo a UNITA, a Comissão Nacional Eleitoral não fez qualquer esforço para corrigir os ditos problemas. 

Vitorino Nhany, secretário da UNITA para os assuntos eleitorais, considera que a maneira como o actual processo foi levado a cabo é dúbia.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Faça o download da aplicação

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.