Acesso ao principal conteúdo
Angola

Tribunal Constitucional de Angola chumba decreto presidencial

Logótipo ong angolana de defesa de direitos humanos Omunga
Logótipo ong angolana de defesa de direitos humanos Omunga Omunga

 Em Angola, o Tribunal Constitucional considerou inconstitucional o decreto presidencial de 2015 que regula as ONGs.

Publicidade

Decisão inédita em Angola onde 9 dos 10 juízes do Tribunal Constitucional "chumbaram" no passado dia 5 de Julho o decreto exarado a 23 de Março de 2015 pelo Presidente José Eduardo dos Santos, que restringia seriamente a actuação e criação das ONGs.

O Tribunal decidiu que legislar sobre liberdades fundamentais e de associações é do foro do Parlamento e não do poder executivo e declarou a "inconstitucionalidade orgânica" do referido decreto presidencial, pelo que até que a Assembleia Nacional aprove legislação específica sobre a matéria, continuará em vigor a anterior lei de 2002.

José Patrocínio, OMUNGA

ONGs internacionais e angolanas como a AJPD, Mãos Livres, OMUNGA ou SOS Habitat entre muitas outras, viram-se a braços com contas bancárias congeladas, impedimento de receber doações sem autorização do executivo, a pretexto de segurança nacional e luta contra o financiamento do terrorismo e branqueamento de capitais.

O engenheiro José Patrocínio, coordenador da ONG de defesa de direitos humanos OMUNGA, considera que "é assustador que se coloque um direito fundamental na possibilidade [de ser passível] deste tipo de crime.

Esta decisão é para este dirigente "um alívio, mas não satisfaz completamente, porque [o decreto] não foi analisado no pormenor a nível da matéria...[e alerta] devemos estar atentos a outras estratégias do partido no poder, o MPLA, maioritário no parlamento poderá aprovar algo com o mesmo conteúdo".

Para José Patrocínio a "sociedade civil deve pressionar os partidos políticos no sentido de que o conteúdo em si não pode nunca ser legislado".

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.