Acesso ao principal conteúdo
An gola / Satélite

Angosat - 1: "Não há razão para alarmes", diz Ministro

Lançamento do satélite angolano Angosat - 1, a 27 de Dezembro de 2017, da base de Baikonurdepuis le Kazaksthan
Lançamento do satélite angolano Angosat - 1, a 27 de Dezembro de 2017, da base de Baikonurdepuis le Kazaksthan AFP

Depois de a base espacial de Baikonur ter anunciado, ontem, a perda de contacto com o primeiro satélite angolano, lançado na véspera, o Secretário de Estado angolano das Telecomunicações e Tecnologias de Informação, Manuel Homem, relativizou a questão, informando que a agência espacial angolana, em Funda, arredores de Luanda, conseguiu restabelecer o contacto com o Angosat - 1

Publicidade

O Ministro das Telecomunicações e Tecnologias de Informação, José Carvalho da Rocha, declarou hoje, em Moscovo, que “a perda da comunicação registada ontem, entre o satélite angolano Angosat-1 e as estações de controlo no Cazaquistão, e na Rússia, é considerada normal, prevista no protocolo de activa­ção do engenho".

O Ministro prestou estas declarações, em Moscovo, minimizando o problema técnico da véspera, que levou a Rússia a anunciar uma interrupção “temporária, com perda de telemetria”com o satélite Angosat - 1, lançado terça-feira.

“Não há razões para alarmes. É normal que haja preocupação, visto ser a primeira vez que Angola entra para o domínio espacial”. afirmou o Ministro.

Mesma tónica por parte do Secretário de EstadodasTelecomunicações e Tecnologias de Informação, Manuel Homem, que relativizou o problema, em entrevista à Rádio Nacional de Angola, dando algumas explicações técnicas, e sublinhando que o satélite voltou  e estar em comunicação com a Terra.

 

 

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.