Acesso ao principal conteúdo
Angola

Angola: bicefalia na liderança do país "resolvida" até Abril 2019

José Eduardo dos Santos, Presidente cessante de Angola e João Lourenço, Presidente eleito em Agosto 2017.
José Eduardo dos Santos, Presidente cessante de Angola e João Lourenço, Presidente eleito em Agosto 2017. MARCO LONGARI / AFP

 José Eduardo dos Santos sugeriu hoje a realização de um congresso extraordinário do MPLA em Dezembro ou "por prudência" em Abril de 2019, para "resolver" a questão da liderança do partido.

Publicidade

Esta sexta-feira (16/03) durante a abertura da V sessão ordinária do Comité Central do MPLA, o presidente do partido e antigo Presidente da República José Eduardo dos Santos, sugeriu que se realize um congresso extraordinário em Dezembro próximo ou "por prudência" emAbril de 2019, para "resolver a questão da liderança do MPLA".

"Recomendo por ser mais prudente, que a realização do congresso extraordinário do partido, que vai resolver a questão da liderança do MPLA, seja ou em Dezembro de 2018 ou em Abril de 2019".

De recordar que a 11 de Março de 2016 durante a reunião ordinária do Comité Central, o então ainda Presidente da República, anunciou que deixaria a vida política activa em 2018.

Segundo a agência de notícias Angop, alguns membros do Bureau Político do MPLA teriam questionado José Eduardo dos Santos esta segunda-feira (12/03) sobre quando passaria a direcção do MPLA ao seu vice-presidente e Presidente de Angola João Lourenço, para pôr fim à "bicefalia que se regista na condução do Estado e do partido".

Em nota distribuida à comunicação social no dia seguinte, o MPLA negou a existência de clivagens internas graves, alegando que essa informação é proveniente de "indivíduos eivados de má fé".

Na sua intervenção de hoje José Eduardo dos Santos evocou ainda a necessidade de "apoiar o executivo" liderado por João Lourenço e "manter uma sincronia entre a direcção do MPLA e o executivo".

Em Janeiro passado o Presidente João Lourenço negou a existência de qualquer bicefalia na governação de Angola, alegando que "nada está acima da Constituição" e afirmou não sentir crispações com o ex-chefe de Estado, mas aguardar que ele cumpra o compromisso de deixar a vida política activa em 2018, embora frisando que "só a ele compete dizer se o fará".

O mandato de José Eduardo dos Santos como presidente do MPLA termina em 2021 e ele lidera o partido desde 1979, na sequência da morte do Presidente Agostinho Neto, então presidente do partido que governa Angola desde a independência, proclamada a 11 de Novembro de 1975.

Com a colaboração de Sonia Rolley, enviada especial a Luanda.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.