Acesso ao principal conteúdo
Angola

RDC e Lesoto, dominam cimeira da SADC em Luanda

SADC, comunidade de desenvolvimento da África austral, reunida em cimeira extraordinária em Luanda, 24 de abril
SADC, comunidade de desenvolvimento da África austral, reunida em cimeira extraordinária em Luanda, 24 de abril SADC site

No quadro das próximas eleições, a situação política na RDC e militar no Lesoto dominaram a cimeira extraordinária da SADC, comunidade de desenvolvimento da África austral, em Luanda. Na abertura da cimeira, o presidente angolano, João Lourenço, apelou? Eem nome da SADC, ao patriotismo na RDC. 

Publicidade

O presidente de Angola, João Lourenço, recebeu hoje (24) em Luanda os seus homólogos da SADC, comunidade de desenvolvimento da África austral, reunidos, em cimeira extraordinária, para analisar a situação na RDC e no Lesoto.

Na abertura da cimeira, o presidente angolano, João Lourenço, apelou à "sabedoria e patriotismo aos autores políticos para que as eleições se possam concretizar e que o processo de registo eleitoral possa acontecer" na RDC.

Outro ponto importante analisado na cimeira da SADC, em Luanda, foi a situação militar no Lesoto, depois da morte do chefe do estado maior general das forças armadas, general Khoantle Motsomotso, a 5 de setembro de 2017.

Duas outras altas patentes, o general Bulane Sechele e o coronel Tefo Hahatsi, foram mortos na mesma altura durante um tiroteio entre militares, com contornos de uma tentativa de golpe militar.

Aliás, a SADC, mediou então o conflito e enviou um contingente militar para o Lesoto, de 217 militares, dos quais 162 angolanos.

Mais recentemente, o presidente angolano, João Lourenço;, na sua qualidade de presidente do órgão de defesa e segurança da SADC, recebeu em Luanda, o primeiro-ministro do Lesoto, para fazerem o ponto da situação sobre a estabilidade e a paz naquele pequeno país encravado na África do sul.

São pois estes os temas dominantes da cimeira da SADC de Luanda, onde os presidentes e primeiros-ministros, abordam igualmente a situação em ífrica duma maneira geral, nomeadamente, a consolidação da democracia, no Madagáscar, Suazilândia ou Zimbabué.

"Nos momentos mais críticos, todos os intervenientes directos no processo do conflito na RDC, que façam prova de máxima contenção olhando em primeiro lugar para os interesses nacionais", reafirmou o presidente angolano João Lourenço, no seu apelo à RDC, mas que serve para os membros da SADC.

Declarações do chefe de Estado angolano, João Lourenço, na abertura da cimeira da SADC, em Luanda, acompanhada pelo nosso correspondente Daniel Frederico.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.