Acesso ao principal conteúdo
Angola

Rádio Ecclésia em crise financeira despede jornalistas angolanos

Logótipo da Rádio Ecclésia em Angola, que devido à crise despede jornalistas experientes
Logótipo da Rádio Ecclésia em Angola, que devido à crise despede jornalistas experientes DR/Radio Ecclésia

A Rádio Ecclésia, estação emissora católica angolana, volta de novo a despedir jornalistas, devido a uma longa crise financeira e má gestão que não consegue resolver. São jornalistas veteranos com mais de 20 anos de profissão, despedidos pela nova direcção do padre Maurício Camuto.

Publicidade

São 6 jornalistas angolanos, dos mais experientes, que a Rádio católica Ecclésia, que emite de Viana, arredores de Luanda, despediu nos últimos dias, devido a problemas de tesouraria.

São eles, Tomás de Melo, Guilherme da Paixão,  Agostinho Gayeta, Helena Lima e Bernardino Pumguandon e Sebastião Júnior, que poderia estar de licença sem vencimento.

A Rádio Ecclésia, que há anos, vem atravessando uma crise financeira, retoma a sua política de despedimentos de jornalistas séniores, alguns dos quais, já tinham sido despedidos e reintegrados e que agora regressam ao desemprego.

Tomás de Melo, um dos jornalistas despedidos, já tem uma longa carreira jornalística dos quais 21 anos na Rádio Ecclésia, mas também com experiência na imprensa escrita, tendo passado pela agência noticiosa, Angop ou pelo Jornal de Angola.

Em entrevista à RFI, Tomás de Melo, afirma que neste momento está em situação de "cessação de prestação de serviço e há muito que deixei de ser efectivo, porque já tinha sido despedido, em 2013, depois retomado, em finais de 2015, e agora, há uma cessação de contrato".

 

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.