Acesso ao principal conteúdo
Angola

Angola: novas vagas não resolvem problemas da saúde

Em Angola as novas vagas não resolvem problemas do sector da saúde
Em Angola as novas vagas não resolvem problemas do sector da saúde AFP

Em Angola arranca no próximo dia 3 de Setembro o concurso público para o enquadramento de mais de 6 mil novos funcionários. O anúncio foi feito pela ministra da Saúde, Sílvia Lutucuta, que reconheceu que o concurso não resolve os problemas do sector que carece de mais investimento.

Publicidade

O governo angolano envida esforços para reverter o actual “quadro negro” do sector da saúde que precisa de mais investimento e recursos humanos.

A ministra da Saúde, Silvia Lutukuta, anunciou hoje em Luanda o início do concurso público para o enquadramento de mais de 6 mil novos funcionários. As vagas destinam-se a médicos e enfermeiros.

Ainda de acordo com a responsável pela Saúde este concurso público não resolve os problemas do sector que carece de mais investimento.

As associações profissionais do sector também consideram que este concurso público um passo importante, num quadro de um programa que o executivo deve implementar, alocando mais verbas do orçamento geral do Estado para o sector da saúde.

O sector da saúde vive grandes dificuldades devido à falta de recursos humanos, infraestruras e medicamentos

De acordo com dados oficiais, Angola conta actualmente com mais de seis mil médicos para cerca de 30 milhões de habitantes. Para se enquadrar nas exigências da Organização Mundial de Saúde, OMS, o país precisa de ter um médico para mil habitantes.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Faça o download da aplicação

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.