Acesso ao principal conteúdo
Angola

Regeneração da Sonangol vai custar 40 milhões de euros

O presidente do Conselho de Administração da Sonangol, Carlos Saturnino. Instituto Superior Politécnico de Tecnologias e Ciências, em Talatona, na zona de Luanda Sul, Angola, 15 de Novembro de 2018.
O presidente do Conselho de Administração da Sonangol, Carlos Saturnino. Instituto Superior Politécnico de Tecnologias e Ciências, em Talatona, na zona de Luanda Sul, Angola, 15 de Novembro de 2018. AMPE ROGÉRIO/LUSA

Em Angola, o "Programa de Regeneração" da petrolífera Sonangol vai custar 40 milhões de euros e será implementado em três anos. O programa foi apresentado, esta quinta-feira, pelo presidente do conselho de administração da Sonangol, Carlos Saturnino, que admitiu que "a Sonangol é uma máquina pesada em termos de estrutura organizacional".

Publicidade

O "Programa de Regeneração" da Sonangol foi apresentado, esta quinta-feira, no município do Talatona, no sul de Luanda, pelo presidente do conselho de administração da empresa pública, Carlos Saturnino.

De acordo com a agência Lusa, o programa vai custar 40 milhões de euros, foi concebido para três anos e visa realinhar as actividades da Sonangol à sua actividade principal: a exploração de hidrocarbonetos.

Carlos Saturnino disse que "não prevê redução de pessoal, mas sim a redução da pesada burocracia interna".

"O nosso objectivo principal não é despedir pessoas. O nossos objectivo principal é realinhar as actividades da empresa para a sua atividade principal, que é a exploração, produção, comercialização, desenvolvimento de hidrocarbonetos no país", afirmou Carlos Saturnino.

O presidente do conselho de administração da petrolífera acrescentou que a estrutura organizacional da Sonangol é uma "máquina pesada", tendo em conta as 19 subsidiárias que a integram.

"A Sonangol é uma máquina pesada em termos de estrutura organizacional, e uma máquina grande em termos de burocracia para tomar decisões e, naturalmente, o ambiente empresarial actual e a capacidade financeira do grupo não se coaduna com as melhores práticas e com a gestão de um grupo empresarial", acrescentou.

(Com Lusa)

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Faça o download da aplicação

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.