Acesso ao principal conteúdo
Angola

Angola: UNITA enviou mensagem ao Governo

Isaías Samakuva, o líder da UNITA
Isaías Samakuva, o líder da UNITA AMPE ROGERIO / AFP

A UNITA, partido da oposição em Angola, reuniu-se neste sábado 15 de Dezembro para abordar, em Comissão Política, a data do próximo Congresso do partido e a estratégia a adoptar para as eleições autárquicas de 2020 no país.

Publicidade

Isaías Samakuva, líder da UNITA, abriu a 4ª reunião ordinária da comissão política, que decorre em Viana a 20 quilómetros de Luanda, enviando uma mensagem forte ao partido no poder, o MPLA.

Para Isaías Samakuva é necessária a realização de autárquicas em 2020 em "todos os municípios do país". O líder da UNITA também exigiu que haja um "verdadeiro" combate à corrupção em Angola.

No que diz respeito às autárquicas, o líder do principal partido da oposição realçou que devem ser simultaneamente realizadas em todos os 164 municípios do país e não realizadas de acordo com o calendário proposto pelo Governo, distribuindo a votação por 2020, 2025 e 2030. Estas eleições também não poderão ser organizadas pela "infra-estrutura que promove e sustenta a corrupção institucional", exigindo por isso o desmantelamento dos "mecanismos ilegais de financiamento do MPLA".

Isaías Samakuva alongou-se um pouco mais sobre a corrupção, saudando essa luta levada a cabo pelo Presidente angolano João Lourenço, mas não se mostrou totalmente convencido, afirmando que o "promotor" da corrupção é o MPLA e que essa corrupção foi "construída" para "permitir" ao partido no poder de permanecer à frente do país.

Para haver um "verdadeiro" combate à corrupção, o líder da UNITA afirma que é necessário combater o sistema político, administrativo e judicial, deixando bem claro que não quer exigir que "a eleição de João Lourenço […] seja anulada", mas pedindo que "a infra-estrutura que promove e sustenta a corrupção institucional seja desmantelada" no próximo ano.

Ouça as declarações de Isaías Samakuva, líder da UNITA.

A reunião da Comissão Política da UNITA termina no domingo com a aprovação das resoluções e a divulgação do comunicado final. De notar por fim que o próximo Congresso deverá realizar-se em 2019.

De referir ainda que, segundo Alcides Sakala, porta-voz da UNITA, os restos mortais do líder fundador da UNITA, Jonas Savimbi, abatido na guerra civil angolana em 2002, serão exumados provavelmente em 2019.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Faça o download da aplicação

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.