Acesso ao principal conteúdo
ANGOLA/RÚSSIA

Angola apostada em seduzir empresários russos

Presidente angolano, João Lourenço, no Fórum empresarial russo-angolano em Moscovo a 3 de Abril de 2019
Presidente angolano, João Lourenço, no Fórum empresarial russo-angolano em Moscovo a 3 de Abril de 2019 AFP

O presidente angolano deve agraciar nesta quinta-feira no Kremlin o seu homólogo russo com a Ordem Agostinho Neto. João Lourenço discursou nesta quarta, 3 de Abril, perante o parlamento e participou num fórum empresarial insistindo no desejável maior dinamismo da cooperação bilateral.

Publicidade

João Lourenço cumpre até esta quinta-feira em Moscovo uma visita a convite de Vladimir Putin.

Ao discursar no parlamento russo João Lourenço enfatizou nesta quarta-feira o estabelecimento de parcerias público-privadas susceptíveis de imprimir maior dinamismo à relação bilateral.

A cooperação entre Luanda e Moscovo data de 1976.

Lourenço admitiu o papel incontornável da Rússia enquanto membro permanente do Conselho de Segurança das Nações Unidas e o peso representado por este país tanto no eixo asiático, quer europeu e no Pacífico.

O chefe de Estado angolano participou também no Fórum empresarial russo-angolano reunindo 300 empresários, essencialmente russos.

Em foco esteve o alargamento de horizontes de investimento russo no mercado angolano, país africano apostado em diversificar a sua economia, ainda muito dependente da exportação do petróleo.

João Lourenço afiançou que o ambiente de negócios em Angola tem vindo a melhorar.

Ele afirmou haver interesse de Luanda em contar com investimento privado russo na indústria farmacêutica, produção de tractores e maquinaria agrícola, fertilizantes e sementes, indústrias do ferro e do aço, exploração do ouro, cobre e demais metais raros.

Lourenço visitou ainda a área de exposição de venda de diamantes da Alrosa, empresa russa de exploração operando em Angola.

O presidente angolano deverá condecorar o presidente anfitrião, Vladimir Putin, nesta quinta-feira numa cerimónia na residência do chefe de Estado russo, no Kremlin.

João Lourenço atribuir-lhe-á a Ordem Agostinho Neto, primeiro presidente angolano.

As delegações dos dois países reunir-se-ão também em Moscovo e o presidente angolano terá ainda a ocasião de se deslocar ao Teatro Bolshoi, conceituada sala de espectáculos.

As trocas comerciais entre a Rússia e Angola atingiram 500 milhões de dólares em 2016, montante superior em 15 vezes em relação ao índice de 2012 que se cifrava em 25 milhões.

A Rússia que lançou, nomeadamente, o satélite AngoSat-1 a 26 de Dezembro de 2017, mas declarado perdido por Angola quatro meses depois.

Os russos devem supervisionar também o lançamento daqui até ao final de 2020 do seu sucessor, o AngoSat-2.

Yuri Quixina, economista angolano, realça o facto de a Rússia ser um parceiro estratégico histórico para Angola.

A emergência de novos actores, como a China, poderia, segundo este analista, pesar no convite dirigido por Putin a Lourenço para esta visita visando lembrar a força de uma relação bilateral tradicional.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.