Acesso ao principal conteúdo
Angola

Angola lança plano para criação de 500 mil empregos

Presidente de Angola, João Lourenço. Palácio Presidencial, Luanda em Janeiro de 2018.
Presidente de Angola, João Lourenço. Palácio Presidencial, Luanda em Janeiro de 2018. AMPE ROGERIO / AFP

Depois da sua aprovação em meados deste mês, foi lançado esta semana o Plano de Acção para a Promoção de Empregabilidade, um plano orçado em um pouco mais de 58 milhões de Euros, para fomentar o emprego nomeadamente junto dos jovens. Através desta estratégia, o Presidente angolano pretende alcançar até ao final do seu mandato em 2022 a criação de 500 mil empregos.

Publicidade

De acordo com o decreto 113/19 instituindo o PAPE, este plano que tem por objectivo servir de "instrumento de gestão operacional destinado a fomentar e apoiar o espírito de iniciativa na juventude", vai ser financiado pelo Orçamento Geral do Estado (OGE) e o Fundo de Petróleo.

Esta estratégia que vai estender-se nos próximos três anos, tem por intuito incrementar as actividades dos empreendedores já estabelecidos, acompanhar a criação de novos negócios e dar formação a jovens através nomeadamente da atribuição de microcréditos e também distribuição de kits profissionais a jovens em diversas áreas.

Segundo dados do INE, Instituto Nacional de Estatística, no ano de 2018, a taxa de desemprego em Angola situava-se em 28,8%, os jovens constituindo a maioria deste universo. Face a esta situação, em 2017, João Lourenço então em campanha para as presidenciais tinha colocado a luta contra o desemprego entre as suas prioridades. Ao recordar precisamente este aspecto, o economista angolano José Cerqueira não deixa de apontar o que a seu ver podem ser obstáculos à concretização do PAPE.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.