Acesso ao principal conteúdo
Música

Angolana Pongo leva kuduro ao Eliseu

Pongo na Presidência da República da França a 21 de Junho de 2019.
Pongo na Presidência da República da França a 21 de Junho de 2019. RFI/Carina Branco

Pongo, a célebre intérprete do “wegue wegue” dos Buraka Som Sistema, é uma das artistas convidadas para actuar no Palácio do Eliseu, esta sexta-feira, Dia da Música. Caracterizada pela imprensa francesa como “a diva do kuduro”, a angolana promete fazer dançar os convidados de Emmanuel Macron com letras em português e kimbundu, ritmos angolanos cruzados com electro-pop e temas que já andam nos ouvidos dos franceses como “Kuzola” e “Tambulaya”, duas canções do seu primeiro EP “Baila”.

Publicidade

Pongo, de 26 anos, foi a voz dos Buraka Som Sistema e a criadora do "Wegue Wegue" com apenas 15 anos - uma música que foi vista mais de cinco milhões de vezes no Youtube.

Em Setembro de 2018, a artista lançou o primeiro EP a solo, "Baila", e em Dezembro actuou no festival Transmusicales de Rennes, despertando o interesse francês pelo seu trabalho.

A imprensa gaulesa tem-na chamado "Diva do Kuduro" e é o kuduro progressivo cruzado com afro-house e electro-pop que ela vai levar, esta sexta-feira, ao Palácio do Eliseu, residência oficial do presidente Emmanuel Macron.

Pongo vai partilhar o palco com Saint Sister, Iris Gold e Brigitte, numa noite em que o Eliseu se abre ao público no âmbito do Dia da Música.

A artista - nascida em Angola mas a viver em Lisboa desde os oito anos - também vai estar na próxima sexta-feira na sala parisiense La Bellevilloise, vai cantar no museu Mucem de Marselha a 1 de Agosto e vai estar no festival Mama em Outubro em Paris.

Antes do concerto, em declarações à RFI, Pongo disse ser uma honra ser convidada para actuar na residência oficial do presidente francês e prometeu fazer dançar Emmanuel Macron.

Veja aqui o vídeo da artista na Presidência da República da França.

Na próxima semana oiça a conversa com a artista no programa ARTES.

 

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.