Acesso ao principal conteúdo
Angola

Luanda: concentração sábado contra "falso combate à corrupção"

Largo da Independência em Luanda onde terá lugar sábado 6/07/2019 uma concentração para denunciar "o falso combate à corrupção"
Largo da Independência em Luanda onde terá lugar sábado 6/07/2019 uma concentração para denunciar "o falso combate à corrupção" twitter.com

Um grupo de activistas convocou para este sábado uma concentração no Largo da Independência em Luanda, entre as 9h30' e as 14h para denunciar o "falso combate à corrupção" por parte do governo, do Presidente João Lourenço e da PGR.

Publicidade

Laura Macedo é uma das promotoras da concentração "contra o falso combate à corrupção, pois parte de nós já subscrevemos cartas à PGR e continuamos a ver o governo a fazer contratos com pessoas, que nós pedimos que fossem investigadas, porque os sinais de riqueza são gritantes e estas pessoas não herdaram dinheiro de nenhum familiar...caso de José de Lima Massamo, governador do Banco Nacional de Angola - BNA".

Esta activista denuncia ainda que "há pessoas julgadas por peculato por causa de 5 milhões de kwanzas e os verdadeiros bilionários, os verdadeiros usurpadores do erário público não o são...há pequenos julgamentos nas províncias mas é o que se chama de arraia miúda, sem desprimor para ninguém".

Sobre o julgamento do antigo ministro dos Transportes Augusto Tomás a decorrer neste momento, Laura Macedo insurge-se contra o facto de "com tantos problemas no Ministério dos Transportes só se cingirem ao CNC - Conselho Nacional de Carregadores - e quando Augusto Tomás afirmou em sede de julgamento, que parte do dinheiro do CNC tinha ido para a última campanha eleitoral, porque é que não se lhe pediu para dizer a quem tinha entregue o dinheiro e seguir o rasto do dinheiro".

Laura Macedo evoca ainda os pedidos de investigação aos filhos do antigo Presidente José Eduardo dos Santos feitos por um grupo de activistas, que foram ignorados pela PGR, quando em relação a "Isabel dos Santos o pedido foi feito em 2011 e reiterado em 2016 e o PGR Helder Pitra Grós afirmou na TPA não ter nada contra Isabel dos Santos".

Os organizadores da concentração reuniram-se com a polícia esta quarta-feira (3/07) para garantir a protecção dos manifestantes.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.