Acesso ao principal conteúdo
Angola

Privatizações em catadupa em Angola

Sede da Sonangol em Luanda.
Sede da Sonangol em Luanda. AFP

Um vasto programa de privatizações vai ser iniciado pelo Governo de Angola. O anúncio foi feito pelo ministro do Estado e da coordenação económica que apresentou o dispositivo.

Publicidade

O governo anunciou oficialmente na terça-feira 13 de Agosto, um programa de privatizações de 195 empresas detidas ou participadas pelo Estado, como previsto pelo decreto de 5 de Agosto, 80 empresas sê-lo-ão já em 2019 mas o processo vai decorrer até 2022, sob a orientação do Banco Mundial.

Do total 175 empresas serão alienadas por concurso público, 11 por leilão em bolsa e 9 por oferta pública inicial.

Entre elas figuram a Sonangol, Endiama, TAAG, ENSA os bancos BCI, BAI, Caixa Geral de Angola, Banco Económico, Unitel, Angola Telecom e muitas outras, o que leva alguns sindicatos a lançarem o alerta sobre o aumento do desemprego que as privatizaçoes podem provocar.

Manuel Nunes Júnior, ministro do Estado e da coordenação económica, apresentou o dispositivo e respectivos objectivos em prol de uma maior eficácia.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.