Acesso ao principal conteúdo
Angola

Angola: Outubro "quente" contra JLO e MPLA

João Lourenço, Presidente de Angola.
João Lourenço, Presidente de Angola. REUTERS/Hannibal Hanschke

Angola será palco de protestos contra as políticas do Presidente João Lourenço e do MPLA já a partir desta sexta-feira dia 11, com apelos a não se ir trabalhar ou manifestar pacificamente, e convocação de novas manifestações nos dias 15 e 19.

Publicidade

O famoso rapper, escritor e activista Nelson Adelino Dembo mais conhecido pelo pseudónimo "Gansta" apoiado por "Dog Murras", Paulo Flores, outros músicos, actores e membros da sociedade civil, estão a convocar os angolanos através das redes sociais, para um momento de reflexão e manifestações pacíficas esta sexta-feira (11/10), convidando-os a ou ficar em casa ou sair às ruas.

Num vídeo publicado no seu Facebook, Paulo Flores apela a que os angolanos fiquem em casa, afirmando que "numa luta de elefantes quem sofre é o capim, e o capim está cansado".

O objectivo é protestar contra a situação económica em que o país se encontra, exigir melhores condições de vida, distribuição equitativa das riquezas, combate à corrupção, boa governação, transparência na gestão da coisa pública, observância da lei, em suma um tratamento mais digno para todos os angolanos.

O presidente João Lourenço, reagiu aos protestos agendados para esta sexta-feira (11/10) alegando que a "campanha de desestabilização e intoxicação contra Angola, não é movida nem por forças estrangeiras, nem por forças da oposição, ela é movida por nacionais - aparentemente do MPLA - e digo aparentemente, porque não se comportam como tal e que ainda têm o descaramento de falar em nome do povo, quando eles desviaram [dinheiro] do nosso país, repartiram com o povo?".

Dia 15 de Outubro está convocada uma manifestação frente à Assembleia Nacional para protestar contra o desemprego e nesse mesmo dia está prevista uma nova manifestação de antigos trabalhadores na República Democrática Alemã, para reclamar o dinheiro que dizem que o governo lhes deve.

Enquanto isso activistas do designado Movimento Revolucionário da "Primeira Geração" apelam a uma manifestação a 19 de Outubro contra o aumento dos preços da cesta básica e para derrubar o Presidente João Lourenço e o regime do MPLA há 44 anos no poder.

Um elemento da 1ª Região Militar Norte também afirma que esta vai sair à rua dia 19 de Outubro, para "decretar o fim do MPLA...estamos dispostos a entregar a nossa vida para essa nação, para essa Angola linda".

Esta quinta-feira (10/10) três activistas, Escoval França mais conhecido pelo pseudónimo "Viriato da Cruz", David Salei e Lacildo Malaza autores de um vídeo de promoção para esta manifestação, que alegadamente atenta contra a segurança do Estado, foram ouvidos pelo Serviço de Investigação Criminal em Viana, arredores de Luanda e três apoiantes seus foram detidos por desacato às autoridades.

Os três autores do vídeo já tinham sido ouvidos a 26 de Setembro no Serviço de Investigação Criminal e deveriam ser julgados sumariamente por isso nesta sexta-feira (11/10).

Com a colaboração de Daniel Frederico, um dos nossos correspondentes em Luanda.

 

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.