Acesso ao principal conteúdo
Rússia/África

África lusófona à procura de investimento russo

África lusófona à procura de investimento russo
África lusófona à procura de investimento russo Roscongress.org

Os chefes de Estado de Angola, Moçambique e Cabo Verde marcam presença na primeira cimeira Rússia/África, em Sotchi, que decorre quarta e quinta-feira. Durante os próximos dois dias vários acordos devem ser assinados com a Rússia que quer recuperar os laços do passado.

Publicidade

O presidente angolano foi o primeiro a confirmar a presença na cimeira Rússia/África, em Abril do mês passado. Em Moscovo, João Lourenço convidou os empresários russos a investir em Angola e, agora, regressa a Sotchi disposto a fazer negócios.

Amanhã João Lourenço intervém na sessão reservada às alocuções dos líderes convidados e na quinta-feira será recebido por Vladimir Putin para avaliar “o estado das relações bilaterais”.

O chefe de Estado angolano vai ainda manter vários encontros com dirigentes de bancos, representantes de empresas agrícolas e produtoras de minerais preciosos. Recorde-se que Angola e a Rússia colaboram actualmente no sector dos diamantes, do petróleo e sector das pescas, porém Moscovo já mostrou interesse em construir uma fábrica de equipamento militar em território angolano.

O Presidente moçambicano, Filipe Nyusi, regressa à Rússia numa altura em que a oposição denúncia fraude eleitoral nas eleições gerais de 15 de Outubro e acusa a Frelimo de ter desrespeitado os acordos de paz, assinados no passado mês de Agosto.

Depois da Rússia ter perdoado 95% da dívida moçambicana, o governo quer reforçar a cooperação na pesquisa e exploração de gás natural e aproveitar a experiência russa para concluir o processo de certificação de Kimberley para a exploração de diamantes.

A Rússia está interessada na construção de três centrais termoeléctricas, que vão funcionar a carvão mineral, em Cumaba e Nacala, e linhas de transporte de energia para Angoche e Salamanga.

Cabo Verde que será representado na cimeira pelo chefe de Estado, Jorge Carlos Fonseca, quer estreitar as relações com a Rússia nas áreas de energia, turismo e agricultura.  Os dois países que assinaram um acordo para a cessação das formalidades de visto para viagens recíprocas, cooperam nas áreas de armamento e matérial bélico.

A ministra dos Negócios Estrangeiros de São Tomé, Elsa Pinto, representa o país em Sotchi. O chefe de Estado José Mário Vaz que devia marcar presença na cimeira cancelou a agenda após a denúncia de tentativa de golpe de Estado na Guiné Bissau.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.