Acesso ao principal conteúdo
Angola

Luanda: greve da limpeza suspensa

Trabalhadores da ELISAL, em Luanda
Trabalhadores da ELISAL, em Luanda RFI

Trabalhadores de limpeza da capital angolana entraram em greve pela segunda vez este ano para exigir salários em atraso e melhores condições de trabalho. O protesto está, entretanto, suspenso depois de um acordo com o Governo Provincial.

Publicidade

Os mais de 300 trabalhadores da Empresa de Limpeza e Saneamento
de Luanda (ELISAL) iniciaram, esta quinta-feira, uma greve por tempo indeterminado que entretanto foi suspensa depois da assinatura de um acordo com o Governo Provincial de Luanda (GPL).

O protesto, que é já o segundo este ano, visava exigir o pagamento de salários em atraso, melhores condições de trabalho e assistência médica, e levou, logo nas primeiras horas, o Governador de Luanda, Sérgio Rescova, a reunir de emergência com a comissão sindical dos trabalhadores e com a comissão de gestão da empresa.

No final do encontro, em entrevista à publicação angolana Novo Jornal, Ventura Luciano, secretário da comissão sindical da ELISAL, justificou a suspensão da greve: "foi produzido um memorando de entedimento que o responsável pela gestão da província de Luanda assinou e em que se compromete a pagar os salários de forma regular no dia 31 de cada mês".

No entanto, a ameaça de greve continua, já que o dirigente sindical ao mesmo jornal garantiu ainda que, caso o GPL não cumpra o acordado, os trabalhadores irão parar de novo e de forma mais prolongada.

face aos descontos em 60% a que estão sujeitos vários profissionais que se encontram doentes, o acordo estabelece que o ordenado será pago por inteiro a partir de agora.

É que a Comissão Sindical garante que grande parte das doenças de que sofrem os trabalhadores resultam da falta de condições de trabalho e de assistência médica, sendo que a cidade de Luanda enfrenta graves problemas de saneamento básico e de recolha de lixo que levam à propagação de diversas
endemias entre as quais a malária.

A ELISAL é uma empresa admnistrada pelo Governo da Província de Luanda que tem responsabilidades atribuídas para a manutenção do aterro sanitário, assistência técnica dos munícipes, bem como a operação de limpeza e recolhas de resíduos no município do Cazenga, nos arredores da capital angolana.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Faça o download da aplicação

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.