Acesso ao principal conteúdo
França / Brasil

Elite política e empresarial francesa participa de jantar de gala à Dilma no Eliseu

Presidenta Dilma Rousseff durante jantar de estado oferecido em sua homenagem pelo presidente da República Francesa Sr.François Hollande.
Presidenta Dilma Rousseff durante jantar de estado oferecido em sua homenagem pelo presidente da República Francesa Sr.François Hollande. REUTERS/Michel Euler/Pool

Os cerca de 200 convidados do jantar de gala oferecido nesta terça-feira à noite pelo presidente francês François Hollande à presidente Dilma Rousseff foram recebidos ao som de músicas de Villa-Lobos e Tom Jobim, interpretadas pela Orquestra de Cordas da Guarda Republicana. A nata política, empresarial e diplomática francesa marcou presença no evento, que ocorreu num dos mais luxuosos salões do Eliseu, todo decorado em estilo Napoleão III.

Publicidade

Entre os convidados, os presidentes de grandes grupos franceses como Casino, Total e Dassault, o representante do Comitê Colbert, que reúne as principais indústrias de luxo da França, e pelo menos 6 ministros do governo Hollande, além do primeiro-ministro Jean-Marc Ayrault e de várias personalidades do Partido Socialista.

Do lado brasileiro, todos os ministros da comitiva da presidente Dilma nesta visita de estado à França participaram do jantar: Antonio Patriota, das Relações Exteriores, Guido Mantega, da Fazenda, Celso Amorim, da Defesa, Aloizio Mercadante, da Educação, e Fernando Pimentel, do Desenvolvimento Indústria e Comércio Exterior.

Vieiras marinadas e vinhos Premier Cru

Os "convivas" desse jantar de mais de 200 talheres compartilharam em 23 mesas, batizadas com os nomes das capitais do Brasil, um menu sofisticado: vieiras marinadas no limão e tártare de salmão defumado ao pimenta rosa, como entrada e frango de Bresse (um dos mais saborosos do mundo) como prato principal.

Tudo regado a vinhos de grande qualidade como o branco Puligny Montrachet Premier Cru Les Folatières 2008 e Saint-Esthèphe 2ème Grand Cru Classé, vindos da cave do Palácio do Eliseu, a mais reputada da França, segundo os especialistas.

Num breve discurso, o presidente François Hollande lembrou que a França é o quarto maior investidor do Brasil, desejou a intensificação das relações comerciais e defendeu a entrada do Brasil no Conselho de Segurança da ONU. Hollande até improvisou uma parte do discurso, mencionando o interesse da França em vender aviões para o Brasil, referência clara aos caças Rafale, cujas negociações seguem em ponto morto.

A presidente Dilma Rousseff, por sua vez, fez um brinde à França e criticou mais uma vez as politicas de austeridade que segundo ela "só tem agravado a situação dos países em crise". Dilma sublinhou ainda a convergência de pontos de vista entre os governos da França e Brasil, que defendem "a construção de um mundo mulipolar".

Hollande e Dilma circularam juntos por todas as mesas do salão para agradecerem pessoalmente todos os convidados. O jantar de gala no salão de recepções do Eliseu acabou às 23h, seguindo um rigoroso protocolo.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Faça o download da aplicação

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.