Acesso ao principal conteúdo
Brasil/eleições 2014

Apagada, Marina é ofuscada por Dilma e Aécio no último debate antes do 1° turno

Candidatos à Presidência do Brasil participam de último debate antes do 1° turno.
Candidatos à Presidência do Brasil participam de último debate antes do 1° turno. REUTERS/Ricardo Moraes

A dois dias das eleições presidenciais, a presidente Dilma Rousseff (PT) se consolida na liderança das pesquisas, com 40% das intenções de voto no Datafolha divulgado nesta quinta-feira. Aécio Neves, do PSDB, teve 21%, e empatou com a candidata Marina Silva, do PSB, com 24%, dentro da margem de erro.  

Publicidade

*Colaboração de Patricia Campos Mello, jornalista da Folha de S.Paulo, para a RFI

O debate desta quinta-feira (2), que foi ao ar pela TV Globo, foi um retrato fiel da reviravolta desta eleição presidencial. Marina Silva, que era o grande fenômeno da eleição, murchou. Apagada, parecia cansada e apareceu pouco. Já Aécio estava revigorado e sorridente, e atacou seguidamente a presidente. Dilma foi eficiente ao rebater as acusações de corrupção na Petrobras e as críticas contra a política econômica.

Marina chegou a empatar com a presidente Dilma nas pesquisas. Em 29 de agosto, sob a comoção da morte de Eduardo Campos, que era o cabeça da chapa, ela registrou 34% na pesquisa Datafolha, mesma porcentagem que Dilma.

Mas uma série de ataques do marketing petista e tropeços em sua campanha desidrataram a candidatura de Marina. Dilma atacou a suposta ligação de Marina com banqueiros, afirmou que a candidata iria negligenciar o pré-sal e abandonar os programas sociais como o Bolsa Família. Marina, por sua vez, cometeu erros: voltou atrás em pontos de seu programa de governo, como o apoio ao casamento gay, e se contradisse sobre votos no Congresso.

Além disso, Marina foi inflexível em sua recusa a dividir palanques com aliados do PSB como o governador tucano Geraldo Alckmin – que deve ganhar a eleição para governador em São Paulo no primeiro turno.
O resultado é que Marina chega ao dia de votação empatada com Aécio Neves. E pior: segundo o Datafolha, 53% dos eleitores de Marina não sabem que número digitar na urna.

Ontem, no debate, ela até tentou reverter isso: usava um broche enorme com o número 40, o seu. Resta ver o que vai sobrar do fenômeno marina nas urnas, neste domingo.

 

selfpromo.newsletter.titleselfpromo.newsletter.text

selfpromo.app.text

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.