Acesso ao principal conteúdo
Iémen

Riad abre inquérito depois de bombardear hospital

Uma criança iemenita nas ruas de uma casa. Sana, 11/08/2016.
Uma criança iemenita nas ruas de uma casa. Sana, 11/08/2016. MOHAMMED HUWAIS / AFP

No Iémen a coligação liderada pela Arábia Saudita abriu esta terça-feira um inquérito, depois de nos últimos dias dois raids terem atingido uma escola e um hospital.

Publicidade

Segundo a organização Médicos Sem Fronteiras, 11 pessoas morreram e cerca de 20 ficaram feridas, vítimas de um raid da coligação liderada pela Arábia Saudita, que esta segunda-feira teria atingido um hospital em Abs, na província de Hajja, no norte do Iémen.

Uma zona controlada pelos rebeldes chiitas hutis, fieis ao ex-presidente Ali Abdallah Saleh, que desde 2014 disputam o poder com o presidente Abd Rabbo Mansour Hadi, reconhecido pela comunidade internacional.

Já no sábado a coligação tinha sido alvo de denúncia por ter bombardeado uma escola, tirando a vida a pelo menos 10 crianças e ferindo outras 28. Agora abriu um inquérito, que diz ser independente, para apurar o sucedido.

Desde Março 2015, Riad lidera uma coligação internacional que luta os hutis, que controlam a capital Sana e outras regiões do país.

Os raids da coligação intensificaram-se a 9 de Agosto depois do falhanço das negociações de paz em curso desde há três meses no Koweit sob a égide das Nações Unidas. 

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.