Acesso ao principal conteúdo
Cabo Verde

Autoridades cabo-verdianas vigiam a evolução do Zika

O mosquito Aedes Aegypti é vector do Zika, da dengue e do chikungunya.
O mosquito Aedes Aegypti é vector do Zika, da dengue e do chikungunya. REUTERS/Jaime Saldarriaga

As autoridades cabo-verdianas continuam de sobreaviso perante a evolução das contaminações com o vírus Zika, 7.164 casos tendo sido registados no arquipélago entre Outubro de 2015 e Janeiro. As autoridades sanitárias cabo verdianas revelam contudo que a epidemia pode estar na sua fase descendente.  

Publicidade

De acordo com os últimos dados divulgados pelo Ministério da Saúde foram notificados 83 novos casos de Zika, na sua maioria na ilha do Fogo. As autoridades sanitárias referem ainda estar a vigiar com especial atenção a situação das mulheres grávidas face ao risco de microcefalia nos bebés, malformações associadas ao vírus Zika. Actualmente cem mulheres que contraíram o vírus Zika estão a ser seguidas na cidade da Praia, os primeiros bebés devendo nascer em finais de Fevereiro.

Mais pormenores com Odair Santos.

De referir ainda que a OMS considera o combate ao vírus Zika uma emergência. Segundo a Organização Mundial da Saúde, o número de contaminações somente no continente americano poderia ascender até 4 milhões de pessoas. Na Europa, as autoridades estão igualmente de sobreaviso face à confirmação de casos, nomeadamente em Portugal, onde se registaram até agora 6 casos.
 

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.