Acesso ao principal conteúdo
Cabo Verde

Banco de Cabo Verde teme saída da portuguesa CGD

Edifício do Banco de Cabo Verde
Edifício do Banco de Cabo Verde DR

Banco Central de Cabo Verde acompanha com preocupação a eventual saída da Caixa Geral de Depósitos dos bancos cabo-verdianos, e espera que o banco português não saia da banca-cabo-verdiana.

Publicidade

O Banco Central cabo-verdiano está a seguir com muita atenção a situação na Caixa Geral de Depósitos de Portugal, o maior accionista de dois bancos em Cabo Verde, um dos quais o maior banco do sistema bancário do arquipélago, o BCA ( Banco Comercial do Atlântico).

O Governador do Banco de Cabo Verde, João Serra, afirmou que não tem nenhuma informação sobre a possibilidade de a Caixa Geral de Depósitos vender os seus activos em Cabo Verde, mas espera que não saia do País.
 

Oiça aqui as declarações de João Serra, recolhidas pelo correspondente  da RFI em Cabo Verde, Odair Santos :

A portuguesa Caixa Geral de Depósitos é o principal accionista do BCA, o maior banco comercial cabo-verdiano, com 52,5% do capital, e detém 70 % do capital do Banco Interatlântico. Nos últimos dias, a imprensa cabo-verdiana dá como certa a saída do banco português do arquipélago o que tem gerado muita preocupação.

 

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.