Acesso ao principal conteúdo
Cultura/Cabo Verde

Cesária Évora cinco anos depois

Cize partiu há cinco anos
Cize partiu há cinco anos Joe Wuerfel

Cesária Évora, a diva dos pés descalços que colocou a música de Cabo Verde no mapa Mundo, faleceu no dia 17 de Dezembro de 2011. Cinco anos depois da sua morte , aquele que foi um dos maiores expoentes da expressão cultural lusófona é alvo de uma homenagem na sua terra natal. Janete Évora, neta da cantora cabo verdiana revelou à RFI, as facetas menos conhecidas da Cize,vulgo afectivo da intérprete que nunca ignorou os que sofriam.

Publicidade

 

Cesária Evora faleceu no dia 17 de Dezembro de 2011. A cantora que mais internacionalizou a música de Cabo Verde e tornou-se uma vitrina exponencial da cultura dos países lusófonos no mundo será de agora em diante tema de celebração, no seu país de origem. A sua voz sui generis de texturas aveludads , a sua força de interpretação, associada à uma postura artística singular fizeram com que a Cize( designação afectiva), sem dúvida uma Billie Holiday com entoações crioulas, entrasse na mitologia da música popular. Césaria Évora era também um ser que se situava para além da música, como explicou a RFI, a sua neta Janete Évora, encarregada de velar pelo legado da diva "aux pieds nus"(pés descalços) , nome pelo qual era conhecida em França, país na qual a Dama Évora despontou para mundo sob a direcção do produtor José da Silva,fundador e guru da gravadora Lusáfrica.

“Cinco anos de Sodad” de Cesária Évora ou cinco anos de saudade é título do evento que decorrer entre sábado e segunda-feira, na cidade natal da “Diva Dos Pés Descalços” para recordar Cesária Évora e assinalar o quinto aniversário da morte da cantora que internacionalizou a música de Cabo Verde.

 No inicio da tarde de sábado, no Mindelo, a gestora do Núcleo Museológico Cesária Évora, Janete Évora, neta da falecida artista explicou à RFI as atividades que marcam os cinco anos sem Cesária Évora. Janete Évora destacou igualmente a preocupação social, que sempre caracterizou a existência da sua avó. A casa da Cize era um lugar de portas abertas.

Janete Évora informou que o Ministério da Cultura e das Indústrias Criativas por intermédio do Núcleo Museológico Cesária Évora tem organizado várias atividades para que o nome de Cesária Évora perdure e que cada cidadão possa fazer algo pela memória da Cesária Évora participando na homenagem a Cize.

 

Correspondência Cabo Verde. Odair Santos

Confiram aqui a foto-reportagem de Odair Santos da distribuição de alimentos aos mais desfavorecidos em homenagem a Cesária Évora no Mindelo:

 

 

 

 

 

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.