Acesso ao principal conteúdo
Cabo-Verde

UE pode ajudar Cabo Verde no repatriamento de imigrantes ilegais

Visa
Visa Flickr/ Creative Commons

A primeira missão do Parlamento Europeu a Cabo Verde decorre até sexta-feira, 22 de Setembro. Eurodeputados alertam para necessidade de reforçar a segurança documental no arquipélago no que diz respeito à liberalização de vistos para cabo-verdianos na União Europeia.

Publicidade

Cabo Verde levanta dúvidas quanto à capacidade para respeitar o acordo de repatriamento em caso de imigração clandestina. A eurodeputada portuguesa Ana Gomes afirma que a União Europeia pode ajudar as autoridades locais a ter capacidades para cumprir o acordo; "este é um dos aspectos onde há todo um trabalho a fazer e onde a União Europeia (UE) pode ter um papel significativo no sentido de ajudar as autoridades de Cabo Verde a terem os meios, as competências e capacidades. O governo de Cabo Verde, as autoridades ao nível municipal e outra com a nossa delegação da UE poderão enfrentar muitos dos problemas que são identificados".

"No Parlamento Europeu trabalhámos muito para a construção desta parceria estratégica. Através deste grupo de amigos parlamentares podemos, sem dúvida, ter um impulso político significativo para que as autoridades de Cabo Verde tenham os apoios que merecem e que são do interesse deles mas também do nosso, inclusivamente do ponto de vista da segurança da UE", afirmou a eurodeputada socialista Ana Gomes.

Ontem, os eurodeputados britânico e portuguesa, Charles Tannock e Ana Gomes, que com o colega búlgaro Andrey Kobatchev integram a primeira missão do Parlamento Europeu a Cabo Verde, foram recebidos pelo Presidente da Assembleia Nacional, Jorge Santos, na Cidade da Praia.

Os eurodeputados sublinharam a importância da parceria especial entre Cabo Verde e a UE que consideram ser benéfica para os dois lados, nomeadamente, quanto a questões de segurança.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.