Acesso ao principal conteúdo
CABO VERDE

Cabo Verde: país mais democrático de África

O primeiro-ministro cabo-verdiano, Ulisses Correia e Silva, regozijou-se com o resultado mas afirmou que ambicionava um "patamar mais elevado". 
O primeiro-ministro cabo-verdiano, Ulisses Correia e Silva, regozijou-se com o resultado mas afirmou que ambicionava um "patamar mais elevado".  DR

O primeiro-ministro cabo-verdiano Ulisses Correia e Silva mostrou-se satisfeito com a classificação, pela Freedom House, de Cabo Verde como o país mais democrático de África. Numa lista de 10 países africanos considerados "livres", o arquipélago obteve 90 pontos numa escala de 0 a 100.

Publicidade

Classificado como o "país mais democrático do continente africano" pela Freedom House, Cabo Verde obteve a mesma pontuação que a França: 90 numa escala de 100. Ontem, o primeiro-ministro cabo-verdiano, Ulisses Correia e Silva, regozijou-se com o resultado mas afirmou que ambicionava um "patamar mais elevado". 

"A nossa ambição é ir além daquilo que é a classificação que existe hoje. Queremos que Cabo Verde tenha uma democracia plena", afirmou Ulisses Correia e Silva.

No relatório anual da Freedom House, Cabo Verde aparece diante de outros 10 países africanos também considerados "livres". As Ilhas Maurícias aparecem em segundo lugar, com 89 pontos, seguidos pelo Gana (83), Benim (82), São Tomé e Príncipe (81), Senegal, África do Sul e Tunísia (78), da Namíbia (77) e Botswana (72).

No relatório, a Freedom House avalia nomeadamente a liberdade pública e os direitos políticos. 

Confira aqui as palavras do primeiro-ministro Ulisses Correia e Silva, num registo recolhido pelo nosso correspondente em Cabo Verde, Odair Santos. 

selfpromo.newsletter.titleselfpromo.newsletter.text

selfpromo.app.text

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.