Acesso ao principal conteúdo
Cabo Verde

Cabo Verde desvaloriza polémica sobre terreno

Governo de Cabo Verde considera que as acusações contra o antigo embaixador da União Europeia de alegado favorecimento na compra de um terreno são "rumores e intrigas". Câmara Municipal da Praia também negou qualquer tipo de favorecimento a José Manuel Pinto Teixeira.

Publicidade

O negócio de venda de um terreno, numa zona nobre da Cidade da Praia, ao antigo embaixador da União Europeia em Cabo Verde está a suscitar muita polémica.

A eurodeputada portuguesa, Ana Gomes, levou o caso ao Gabinete Anti-Fraude Europeu para averiguar alegadas "suspeitas de benefício pessoal e favorecimento" ao embaixador José Manuel Pinto Teixeira na compra do terreno.

O MpD, partido no poder, considerou que as declarações da eurodeputada "atentam contra o bom nome dos dirigentes do MpD, as instituições públicas e governativas de Cabo Verde e a imagem do país”.

Entretanto, o ministro da Presidência do Conselho de Ministros, Fernando Elísio Freire, disse tratar-se de "rumores e intrigas".

Esta quarta-feira a Câmara Municipal da Praia negou qualquer tipo de favorecimento ao antigo embaixador e o vereador de Urbanismo disse que José Manuel Pinto Teixeira foi o único interessado na compra do terreno, tendo pagado cerca de 50 mil euros.

Por sua vez, esta terça-feira, o vice-presidente do PAICV questionou a "lisura e transparência" da venda do terreno ao ex-representante da União Europeia.

A compra do terreno, próximo da residência do embaixador de Portugal na cidade da Praia, está envolta em polémica há cerca de cinco meses.

Oiça aqui a crónica de Odair Santos, Correspondente em Cabo Verde.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Faça o download da aplicação

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.