Acesso ao principal conteúdo
Cabo Verde

Sindicatos caboverdianos criticam processo de privatização da TACV

Um dos aviões da TACV, que vive actualmente momentos difíceis antes da privatização
Um dos aviões da TACV, que vive actualmente momentos difíceis antes da privatização

A maior central sindical caboverdiana, a UNTC-CS, acusa a administração da companhia pública de aviação, TACV, de estar a agir à margem da lei laboral marginalizando os trabalhadores e os sindicatos no processo de reestruturaçõ da empresa nacional de aviação. O chefe de Estado, afirma estar a seguir de perto os processos de reestruturação e privatização da TACV.

Publicidade

A UNTC-CS a maior central sindical de Cabo Verde acusa a administração da TACV de estar a agir à margem da lei laboral, estranhando os trabalhadores e os sindicatos no processo de reestruturação da companhia aérea nacional.

Joaquina Almeida, secretária-geral da central sindical, declarou na conferência de imprensa, neste sábado, 03, que a bem da tranquilidade e da paz social, o Governo deve chamar e envolver os sindicatos no processo de reestruturação da TACV.

Por outro lado, o presidente da República, Jorge Carlos Fonseca, abordado ontem pelos jornalistas disse que está informado dos processos reestruturação e privatização da TACV e mostra-se disponível para receber a secretária-geral da UNTC-CS.

Presidente da Republica, Jorge Carlos Fonseca, diz estar a acompanhar o processo de TACV e disponível para dar contribuição

Os trabalhadores da TACV queixaram-se no sábado, na Cidade da Praia, da forma como todo o processo da privatização da empresa tem sido conduzido e exigiram mais abertura e diálogo por parte da administração.

Cerca de duas dezenas dos trabalhadores da companhia aérea cabo-verdiana que hoje ladearam a secretária-geral da União Nacional dos Trabalhadores Cabo-verdianos-Central Sindical (UNTC-CS), Joaquina Almeida, durante uma conferência de imprensa para denunciar a forma como vem decorrendo o processo de privatização da empresa;

Manifestaram ainda o seu desagrado e exigiram a aplicação da lei nos vários aspectos, nomeadamente quanto ao prazo da comunicação do despedimento e à indemnização por despedimento colectivo.

Por seu turno, Presidente da Republica, Jorge Carlos Fonseca, diz estar a acompanhar o processo de TACV e disponível para dar contribuição. F

Fonseca foi abordado no sábado pelos jornalistas sobre a denúncia da UNTC - CS e dos trabalhadores e disse que o Chefe do Governo e o Ministro das Finanças passou todas as informações sobre esse processo e que se a presidente da UNTC.CS tiver dúvidas está disponível para recebe-la.

De Cabo Verde, o nosso correspondente, Odair Santos.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.