Acesso ao principal conteúdo
Cabo Verde

PM de Cabo Verde quer pedido de desculpas no caso Tecnicil

Ulisses Correia e Silva, Primeiro-ministro cabo-verdiano
Ulisses Correia e Silva, Primeiro-ministro cabo-verdiano Carina Branco/RFI

O governo reagiu ao arquivamento pelo Ministério Público do processo sobre o aumento da taxa de direitos aduaneiros na importação de produtos lácteos e sumos naturais que despoletou suspeitas de favorecimento da Tecnicil, empresa de que o vice primeiro-ministro e ministro das finanças foi administrador. Para o chefe do governo, Ulisses Correia e Silva, impõe-se um pedido de desculpas por parte daqueles que "montaram uma cabala política" para denegrir a imagem do seu vice primeiro-ministro.

Publicidade

Refira-se que o caso de alegado favorecimento da Tecnicil surgiu após a recente entrada em vigor do aumento da taxa de direitos aduaneiros na importação de produtos lácteos e sumos naturais que consta da Lei do Orçamento de Estado de 2018. Depois de esta lei ter sido aprovada no parlamento designadamente com os votos do PAICV, este partido acusou o ministro das finanças de ter promovido este dispositivo no intuito de  favorecer a Tecnicil, empresa de que supostamente o ministro Olavo Correia era accionista e foi administrador antes de entrar para o Governo.

Na altura em que surgiu esta polémica, os partidos da oposição chegaram a pedir a demissão do governante. Mais pormenores com Odair Santos.

Odair Santos, correspondente da RFI em Cabo Verde

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.