Acesso ao principal conteúdo
Cabo Verde

Detido suposto autor de incêndio na ilha de Santo Antão

Campos de cana de açúcar em Santo Antão, Cabo Verde
Campos de cana de açúcar em Santo Antão, Cabo Verde RFI/Miguel Martins

Foi detido o suposto autor de incêndio que consumiu 200 hectares da floresta do Planalto Leste, na ilha de Santo Antão.

Publicidade

O incêndio ocorreu na madrugada de sexta-feira, 27 de Julho. As autoridades polícias avançaram que se tratava de fogo posto.

O indivíduo de 29 anos de idade está a ser ouvido pelo Tribunal da Comarca de Porto Novo que vai decidir que medida de coacção aplicar no caso, que poderá ser a prisão preventiva.

Nesta terça-feira, o primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, esteve a visitar as zonas atingidas pelo maior incêndio na floresta do Planalto Leste.

Entretanto, o ministro da Agricultura e Ambiente, Gilberto Silva, já visitou as zonas queimadas afirma que vão ser precisos mais de cinco anos para repor a os 13% da área florestal destruída pelo fogo.

"Vamos levar mais de cinco anos de trabalho para recuperação da floresta. Estamos a falar de ecossistemas também com plantas endémicas mais de 25 espécies seguramente de plantas endémicas que é também necessário levar em conta a recuperação ambiental. Não é só a replantação, mas também a recuperação de alguns dispositivos anti-erosivos, mecânicos que terão de ser recuperados", descreve o ministro da Agricultura e Ambiente.

O governo prevê cerca de 60.000 contos para recuperar a floresta do Planalto Leste, na ilha de Santo Antão e anuncia que vai apostar na prevenção de incêndios florestais como nos descreve o nosso correspondente em Cabo Verde, Odair Santos.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.