Acesso ao principal conteúdo
Cabo Verde

Estudos sobre Amílcar Cabral entregues à sua Fundação

Amílcar Cabral, iniciador da luta pela independência de Cabo Verde e da Guiné-Bissau.
Amílcar Cabral, iniciador da luta pela independência de Cabo Verde e da Guiné-Bissau. LEHTIKUVA / AFP

Dois estudos sobre os escritos de Amílcar Cabral que vão servir de base para a preparação da candidatura de Cabo Verde ao  “Registo Memória do Mundo da UNESCO” foram entregues à Fundação Amílcar Cabral na Cidade da Praia.

Publicidade

Os documentos fundamentam a actualidade do pensamento de Amílcar Cabral e a importância da sua salvaguarda enquanto património documental mundial. O Coordenador da equipa técnica da Fundação Amílcar Cabral, Manuel Veiga, afirma que os estudos produzidos em 10 meses, e que resultaram em duas obras - uma de 429 páginas- e um documento - súmula de 40 páginas, têm três partes. "Cabral humanista, Cabral homem de cultura, Cabral poeta, mas também fizemos o levantamento de Cabral na palavra dos outros, o que os outros disseram sobre Amílcar Cabral. Foi interessantíssimo ouvir estrangeiros a falar sobre Amílcar Cabral naqueles termos", comentou o estudioso.

O Ministro da Cultura, Abraão Vicente, que testemunhou a entrega dos escritos reafirmou a disponibilidade do governo em apoiar a candidatura dos escritos de Amílcar Cabral ao programa "Memórias do Mundo" da UNESCO.

Por outro lado, na sequência de um encontro com o embaixador da Guiné-Bissau em Cabo Verde que também assistiu à cerimónia, o Ministro da Cultura afirmou que o seu país nunca reclamou os manuscritos e os arquivos de Amílcar Cabral que se encontram na Fundação Mário Soares, em Lisboa, actualmente a atravessar dificuldades financeiras.

Abraão Vicente disse que Cabo Verde está disponível para apoiar a Guiné-Bissau na preparação de todas as condições para receber de volta os documentos. "Da conversa muito produtiva com o Senhor Embaixador, saiu a ideia de que a Guiné quer acolher os arquivos. Neste sentido, disponibilizei os serviços e o apoio técnico do Instituto do Património Cultural e do Arquivo Nacional de Cabo Verde para a preparação do espaço da instituição que irá recebê-los e também nos disponibilizamos, caso seja necessário, a providenciar algum tipo de apoio financeiro", indicou o Ministro cabo-verdiano da Cultura.

Mais pormenores com Odair Santos.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.