Acesso ao principal conteúdo
Cabo Verde

Cabo Verde: Enapor assina com empresa francesa

Baía de Porto Grande, Mindelo, São Vicente, Cabo Verde. 1 de Fevereiro de 2015.
Baía de Porto Grande, Mindelo, São Vicente, Cabo Verde. 1 de Fevereiro de 2015. DANIEL SLIM / AFP

A Empresa Nacional de Administração dos Portos (Enapor) seleccionou a empresa francesa Artelia Eau & Environnement para a assistência técnica e fiscalização das obras do Terminal de Cruzeiros do Mindelo, na ilha de São Vicente.As obras deverão arrancar no primeiro trimestre de 2020.

Publicidade

A empresa francesa Artelia, Eau & Environnement venceu o concurso Público Internacional para Consultoria e Fiscalização das Obras do Projeto Terminal de Cruzeiros do Mindelo. A construcção do Terminal de Cruzeiros, no Porto Grande de São Vicente, está orçado em 29 milhões de euros.

De acordo com a Empresa Nacional de Administração dos Portos (Enapor), a Artelia, Eau & Environnement foi seleccionada num grupo de 21 empresas por ser multidisciplinar e por actuar em áreas como consultoria, engenharia e gestão de projectos em diversas vertentes, nomeadamente nos transportes e ambiente.

Por ora, o presidente do conselho de administração da Enapor, Jorge Maurício, não avança com uma data concreta para o início das obras do Terminal de Cruzeiros do Mindelo, mas afirma que o projecto está em concurso e que já foi assinado o contrato com a empresa francesa que tem 60 dias para apresentar o dossier de lançamento do concurso de selecção do empreiteiro.

Depois, a Artelia, Eau & Environnement fará a fiscalização dos trabalhos de construção do Terminal de Cruzeiros e, posteriormente, a contratação de consultoria especializada para desenvolver e implementar um Plano de Desenvolvimento do Destino Turístico de Cruzeiros para as ilhas de São Vicente e Santo Antão, cuja obras deverão arrancar no primeiro trimestre de 2020.

De acordo com o jornal Notícias do Norte, o terminal de cruzeiros terá dois berços de 400 e 350/300 metros, uma profundidade máxima de 11 metros, uma gare marítima para passageiros e uma vila turística junto à marginal com lojas, restaurantes e bares. A mesma fonte indica que em São Vicente, os navios de cruzeiros representam mais de quatro milhões de euros por ano, com os turistas a gastar entre 30 a 40 euros por pessoa.

Oiça aqui a reportagem de Odair Santos.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.