Acesso ao principal conteúdo
#coronavírus

Cabo Verde declarou "risco de calamidade"

O primeiro-ministro de Cabo Verde, Ulisses Correia e Silva, durante uma declaração ao país onde defendeu que seja declarada de imediato a situação de emergência no país, possibilidade que já foi discutida com o Presidente da República, Jorge Carlos Fonseca (ausente da foto), na Cidade da Praia, em Cabo Verde, a 26 de março de 2020.
O primeiro-ministro de Cabo Verde, Ulisses Correia e Silva, durante uma declaração ao país onde defendeu que seja declarada de imediato a situação de emergência no país, possibilidade que já foi discutida com o Presidente da República, Jorge Carlos Fonseca (ausente da foto), na Cidade da Praia, em Cabo Verde, a 26 de março de 2020. © LUSA/ Fernando de Pina

Para conter o avanço do novo tipo de coronavírus em Cabo Verde, o Primeiro-ministro declarou o “risco de calamidade” no país e endureceu as medidas restritivas que passam a vigorar à meia-noite desta sexta-feira e até ao dia 17 de Abril. Ulisses Correia e Silva também defendeu que seja declarada de imediato a situação de emergência no país.

Publicidade

A partir da meia noite desta sexta-feira, Cabo Verde vai elevar o nível da protecção civil para risco de calamidade face à pandemia de Covid-19. Entre as medidas previstas estão o encerramento de empresas públicas e a suspensão das ligações aéreas e marítimas inter-ilhas de passageiros.

Numa declaração ao país, o primeiro-ministro cabo-verdiano, Ulisses Correia e Silva, anunciou o “reforço significativo” das medidas, até 17 de Abril e disse que o Governo “é favorável” à declaração de situação de emergência a nível nacional, que está a ser ponderada pelo Presidente da República, Jorge Carlos Fonseca.

A partir de hoje entramos numa nova fase, numa fase decisiva, com medidas mais duras de prevenção, mas necessárias. Com efeitos a partir do dia 27 de Março, às 00:00, e até ao dia 17 de Abril, são reforçadas significativamente, para todo o território nacional, as medidas restritivas para diminuir o risco de propagação e contágio do vírus”, anunciou Ulisses Correia e Silva.

“Eleva-se assim o nível de contingência da Protecção Civil para a situação de risco de calamidade, o que reforça as medidas de prevenção e de reacção em todo o território nacional. Em consequência, são encerrados todos os serviços e as empresas públicas em todo o território nacional, com efeito a partir da meia noite de hoje”, acrescentou.

As restrições não abrangem os serviços públicos essenciais nos domínios da saúde, da segurança e da protecção civil, os serviços portuários e aeroportuários, os serviços urgentes de registo nacional de identificação civil e os serviços urgentes dos tribunais judiciais e transporte de mercadorias entre as ilhas.

“São suspensas as ligações e os voos inter-ilhas. Exceptuam-se os voos e as ligações marítimas realizados para fins sanitários, de protecção civil, evacuação de doentes, situações de emergência, deslocação de técnicos para serviços inadiáveis e imprescindíveis e outras situações excepcionais devidamente autorizadas pela autoridade de Protecção Civil, mediante controlo sanitário”, anunciou Ulisses Correia, no âmbito das novas medidas que entram em vigor à meia-noite.

Correspondência de Cabo Verde 26/3/2020

Governo pede declaração imediata de situação de emergência

O Primeiro-ministro também pediu ao Presidente da República para declarar imediatamente situação de emergência. A decisão do Presidente da República deverá ser conhecida esta sexta-feira e essa possibilidade já foi discutida esta manhã com Jorge Carlos Fonseca.

O primeiro-ministro confirmou a reunião com o chefe de Estado e revelou que o Presidente “pondera seriamente a possibilidade de declaração de situação de emergência constitucional” em Cabo Verde. Uma declaração que “irá permitir ao Governo reforçar as medidas de prevenção, nomeadamente a obrigatoriedade legal de as pessoas permanecerem em casa e o encerramento de serviços e empresas privadas, e a obrigatoriedade acrescida de dever de colaboração de todas as entidades com as autoridades sanitárias e de protecção civil”.

O primeiro caso confirmado de Covid-19 no arquipélago surgiu há uma semana, na ilha da Boa Vista, sendo um cidadão inglês, de 62 anos, que acabou por morrer esta semana. Na mesma ilha, que entretanto foi isolada, foram confirmados mais dois casos de turistas estrangeiros infectados. Esta semana foi confirmado o primeiro caso na Cidade da Praia, na ilha de Santiago.

O novo tipo de coronavírus, responsável pela pandemia de Covid-19, já infectou mais de 480 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram cerca de 22.000. O continente africano registou até hoje 73 mortes, ultrapassando os 2.700 casos, em 46 países.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.