Acesso ao principal conteúdo
Saúde/Fast Food

Consumo de fast-food aumenta risco de asma entre jovens e crianças

hotels.com

Crianças e adolescentes que comem fast food mais de três vezes po semana tem um risco maior de desenvolver uma asma grave, rinite alérgica ou eczema, de acordo com um estudo da Universidade de Auckland, na Nova Zelândia, publicado nesta segunda-feira.

Publicidade

Os dados estão baseados na análise da alimentação de 319 mil adolescentes com idades entre 13 e 14 anos, e 181 mil crianças entre seis e sete anos, que participaram de um grande estudo internacional sobre asma e alergias na infância. A pesquisa teve início em 1991 e envolveu, no total, uma centena de países. Para chegar a essa conclusão, os pesquisadores da Universidade de Auckland interrogaram os adolescentes e seus pais a respeito de seus hábitos alimentares e dos sintomas respiratórios constatados nos últimos 12 meses.

Os cientistas descobriram que o fast food era o único tipo de comida associado ao agravamento dos sintomas, independentemente do país, do nível social ou do sexo. Eles ainda descobriram que o consumo de três ou mais hambúrgueres por semana aumentaria o risco de desenvolver uma asma grave em 39% entre os adolescentes e 27% entre as crianças de seis a sete anos, e provocaria casos de eczema e de rinite alérgica.

O consumo de frutas, entretanto, tem um efeito ‘protetor’, reduzindo a gravidade dos sintomas em 11% nos adolescentes e 14% nas crianças, segundo o estudo. Os pesquisadores lembram que os dados são resultado de uma "associação" feita a partir das estatísticas, e que necessita de uma investigação mais aprofundada. "Se forem comprovados, haverá um impacto importante em termos de saúde pública, já que o consumo de fast-food tende a aumentar em nível mundial", disse o responsável pelo estudo, Inner Asher.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.