Acesso ao principal conteúdo
Cannes/Crônica

Praia e cinema em Cannes, enquanto a Palma de Ouro não vem

LC

Clima de expectativa em Cannes, algumas horas antes da cerimônia de entrega, no Palácio dos Festivais, da Palma de Ouro, do Grande Prêmio e do Prêmio do Júri para o melhor filme, dos Prêmios de Melhor Ator e Atriz, da Melhor Direção e do Melhor Roteiro. Uma série de projeções de longas em competição, clássicos e curtas em diversas salas centraliza a atenção dos cinéfilos, que também aproveitam o domingo ensolarado para ir à praia.

Publicidade

Fila para entrar em uma das salas de projeção do Palácio dos Festivais.
Fila para entrar em uma das salas de projeção do Palácio dos Festivais. LC

Durante todo o festival, vários longas em competição foram aplaudidos em pé e bem recebidos pela crítica e pelo público, mas não se pode dizer que nesta 64 ª edição há unanimidade em torno de um mesmo filme, que há um favorito. Mesmo assim, é possível citar alguns fortes candidatos : "The Artist", de Michel Hazanavicious , "Le Havre", do diretor finlandês Aki Kaurismäki, "Le Gamin à Vélo", dos irmãos belgas Dardenne, "The Tree of Life", do americano Terrence Malick ou "La Source des Femmes", do franco-romeno Raidu Mihaileanu.

Mas, como todos nós sabemos, o maior festival de cinema do mundo também é feito de surpresas. Um exemplo é o ano passado, quando o improvável filme tailandês " Oncle Boomee"  ganhou a Palma de Ouro, decepcionando crítica e publico.

Brasil

O Brasil ainda pode guardar uma pontinha de esperança. Sem ter recebido nenhum prêmio nas mostras Semana da Crítica e Quinzena dos Realizadores, ainda concorre à Câmera de Ouro, oferecida ao realizador de um primeiro longa metragem. Quem concorre são os paulistas Juliana Rojas e Marco Dutra, com " "Trabalhar Cansa".

E enquanto a Palma de Ouro não vem, uma série de filmes estão sendo projetados nas principais salas neste domingo ensolarado, em clima de "fim de festa". Os estandes começam a ser desmontados, caminhões estacionam recolhendo projetores e estruturas provisórias de palcos montados para shows e as tendas, onde durante onze dias foram feitas as festas mais animadas do festival, viraram imensos quadrados de lona dobrados sobre a areia, onde centenas de pessoas dançaram ao som dos DJs da moda.

O sol também decidiu brilhar neste último dia do Festival de Cannes, o que fez muitos cinéfilos trocarem as escuras salas de projeção pela praia.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.