Acesso ao principal conteúdo
Literatura

Martinho da Vila lança Opera Negra em Paris

Opera Negra é a segunda obra traduzida na França de Martinho da Vila
Opera Negra é a segunda obra traduzida na França de Martinho da Vila Divulgação

Ao contar a epopéia das favelas brasileiras, cantor e compositor Martinho da Vila é recebido no Salão do Livro de Paris pela segunda vez. No sábado, 23 de março de 2013, ele apresenta a tradução em francês do livro Opera Negra, publicado pela editora Divine e transformado na língua de Molière em Opéra Noir du Brésil.

Publicidade

Na 33ª edição do Salão do Livro de Paris, o brasileiríssimo Martinho da Vila mostra que não é apenas bom de samba. Autor de 11 livros, "Opera Negra" é sua segunda obra traduzida na França, e também sua segunda participação no evento. A primeira foi em 2012, quando apresentou ao público francês "Joana et Joanes, Romance dans l'état de Rio".

Passando da música à literatura com naturalidade, a "Opéra Noir" mistura os dois gêneros para contar a história da formação das favelas no Rio de Janeiro logo após a abolição da escravatura. Em entrevista exclusiva à RFI, Martinho contou que o livro foi a concretização de um sonho. "Eu tive o sonho de um dia fazer um concerto, pois sempre se falou do negro nas artes, especialmente na música popular, mas eu não tinha informações sobre o negro na música erudita, pouca gente tem." Por isso, o texto não deixa de ter um tom militante, evocado logo na introdução, que cita Martin Luther King.

Apesar dos mais de dez livros publicados, Martinho da Vila não se considera um escritor. A literatura veio por acaso. "Um escritor só se torna cohecido quando escreve um best seller, e isso anda não aconteceu ", brinca. Na França, ele diz ser bem recebido mas sabe que não é conhecido pelo grande público. " Para isso é preciso sempre vir aqui e marcar presença, mas eu venho, faço apresentações, e vou embora", disse.

Sua próxima investida no mundo das letras é voltada para as crianças. Um livro sobre o nascimento do samba que já está às vésperas de ir para o prelo. "Fazer livros infantis não é mole, eu procuro fazer livros em que o texto seja mais importante do que as ilustrações", afirma Martinho, que tem editadas duas obras infanto-juvenis.

"Opéra Noir du Brésil" é publicado na França pela editora Divine Edition, traduzido por Hélène Bardeau.

Ouça na íntegra a entrevista que Martinho concedeu à RFI.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.