Acesso ao principal conteúdo
EUA/Música

Morte do músico americano B.B. King será investigada como homicídio

Morte do músico americano B.B. King será investigada como homicídio
Morte do músico americano B.B. King será investigada como homicídio www.bbking.com

A morte do músico B.B. King, conhecido como o rei do blues, será investigada como homicídio, segundo comunicou o departamento de medicina legal de Nevada, estado no oeste dos Estados Unidos. O músico morreu no dia 14 de maio, aos 89 anos, em Las Vegas, onde morava.

Publicidade

Duas das filhas de King, Karen Williams e Patty King, acusam o agente Laverne Toney de ter envenenado o pai. Elas acreditam que "administraram substâncias para provocar a morte prematura" do pai e solicitam "uma investigação formal sobre este assunto", segundo o site.

Funeral adiado

Toney, que administra a herança de King, rejeitou a acusação: "Estão fazendo denúncias o tempo todo, isso não é novo". O corpo de medicina legal publicou no Twitter que realizará uma autópsia, cujo resultado exigirá entre seis e oito semanas.

A imprensa local anunciou que o funeral de King em Memphis foi adiado à espera dos resultados da autopsia. King, dono da famosa guitarra Lucille, estava hospitalizado desde o final de abril e teria morrido de desidratação resultante de uma diabetes diagnosticada há 30 anos. Além disso, o músico sofria de hipertensão.

Infância difícil

King nasceu em 16 de setembro de 1925 em Itta Bena, perto de Indianola. Teve uma infância difícil. Aos 9 anos, vivia sozinho e colhia algodão para se sustentar. Começou a tocar na rua, por algumas moedas. Em 1947, mudou-se para Memphis, no Tennessee, apenas com sua guitarra e US$ 2,50, em busca de uma carreira musical

A primeira grande oportunidade da sua carreira surgiu em 1948, quando atuou no programa de rádio de Sonny Boy Williamson, na estação KWEM, de Memphis.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.