Acesso ao principal conteúdo
França/Crise

Economia francesa permanece estagnada no segundo trimestre

Da esquerda para a direita, o presidente François Hollande e os ministros Michel Sapin (Finanças Públicas) e Emmanuel Macron (Economia).
Da esquerda para a direita, o presidente François Hollande e os ministros Michel Sapin (Finanças Públicas) e Emmanuel Macron (Economia). REUTERS/Philippe Wojazer

A economia francesa permaneceu estagnada no segundo trimestre do ano, da mesma forma que no primeiro, informou nesta terça-feira (23) o Instituto Nacional de Pesquisas e Estatísticas (Insee). Vários indicadores publicados pelo organismo revelam morosidade no mercado de consumo e na atividade industrial.

Publicidade

Os resultados detalhados sobre o Produto Interno Bruto (PIB) entre os meses de abril e junho confirmam o que foi antecipado em meados de agosto, o que levou o governo a reconhecer que a França não cumprirá seus objetivos de crescimento e déficit em 2014.

As exportações, que tinham avançado 0,6% no primeiro trimestre, se desaceleraram com uma alta de 0,1%, enquanto as importações diminuíram de 0,8 para 0,4%. No total, o comércio exterior teve um impacto negativo de 0,1 ponto no PIB do segundo trimestre, acrescentou o Insee em seu comunicado.

As despesas de consumo dos particulares evoluíram em alta, com um aumento de 0,4% no segundo trimestre, resultado um pouco aquém do esperado, assim como as despesas da administração páblica (0,4%).

Os investimentos das empresas recuaram de 0,7% no período. Já a produção de bens se contraiu 0,1%, após o avanço de 0,2% do trimestre anterior, acrescentou o Insee, segundo o qual, no conjunto do ano, a França acumula um crescimento de 0,3%.

Recentemente, o ministro da Economia, Manuel Macron, disse que a França "estava doente".

 

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.