Acesso ao principal conteúdo
Esporte/Olimpíadas

Tocha olímpica é acesa na Grécia e começa viagem rumo a Londres

Spyridon Gianniotis, nadador grego campeão do mundo, corre com a chama olímpica, após encenação nas ruínas milenares de Olímpia, nesta quinta-feira.
Spyridon Gianniotis, nadador grego campeão do mundo, corre com a chama olímpica, após encenação nas ruínas milenares de Olímpia, nesta quinta-feira. REUTERS/John Kolesidis

Seguindo a tradição, a tocha foi acesa nesta quinta-feira em Olímpia, no interior da Grécia, berço nos Jogos da Antiguidade. O presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), Jacques Rogge, e o presidente do Comitê Organizador do evento em Londres, Sebastian Coe, participaram da cerimônia. A flama percorre o país durante uma semana e depois vai à Inglaterra, de avião, onde deve chegar no dia 18 de maio.

Publicidade

Nesta manhã, o COI acendeu a tocha olímpica em uma cerimônia marcada pelo cumprimento rigoroso dos horários. A chama deve percorrer mais de 15.000 km, na Grécia e no Reino Unido, até a noite de abertura oficial dos Jogos, em 27 de julho. A tocha foi acesa pela atriz grega Ino Menegaki, que encenou a sacerdotisa dos Jogos da Antiguidade.

Após uma homenagem a Pierre de Coubertin, fundador dos Jogos Olímpicos da era moderna, a flama simbólica começou a ser carregada pelo nadador grego Spyros Gianniotis, campeão mundial dos 10 km em águas abertas, em 2011. "Esta cerimônia abre a contagem regressiva final de um sonho que se transformou em realidade há sete anos em Cingapura, quando Londres foi escolhida para acolher os Jogos em 2012", declarou Jacques Rogge, presidente do COI.

Mais de oito mil esportistas vão participar do revezamento da tocha, que passará, no total, por 1.018 cidades. Na Grécia, ela viajará 3.000 km durante uma semana de percurso que inclui cinco grandes sítios arqueológicos, como a Acrópole. Depois de chegar ao Reino Unido, a chama sairá apenas uma vez do país, em direção à Irlanda. Em solo inglês, ela deve percorrer 12.875 km durante 70 dias. Para fazer todo esse deslocamento, a flama, símbolo dos Jogos, será transportada por meio de aviões, trens à vapor, barcos e até teleféricos.

"Nós prometemos proteger a tocha, valorizar suas tradições e organizar um revezamento do qual seremos orgulhosos e que será uma fonte de inspiração para toda uma geração", afirmou em seu discurso Sebastien Coe. Esta é a segunda vez que a flama olímpica viaja para Londres. Embora tenha sediado o evento em outras duas edições (1908 e 1948), a capital britânica recebeu a visita da chama apenas na década de 1940, já que o tradicional revezamento da tocha foi inventado nos Jogos Olímpicos de 1936, em Berlim.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.