Acesso ao principal conteúdo
Futebol/Fifa

Fifa testa duas tecnologias para esclarecer lances duvidosos na linha de gol

© AFP

Os testes das tecnologias desenvolvidas para confirmar se a bola passou ou não a linha de gol, terão início nesta quarta-feira em um jogo entre dois times amadores ingleses, informou a FIFA. O sistema “Hawk-Eye”, o mesmo usado no tênis, será testado durante a partida em Southampton na final da Copa de Hampshire.  

Publicidade

O local e a data do jogo de volta para experimentar a teconologia Hawk-Eye, desenvolvida por uma empresa inglesa, serão anunciados posteriormente.

O segundo sistema que está sendo observado pela Federação Internacional de Futebol, o GoalfRef, será testado na semana em dois jogos na Suécia. O GoalRef, desevolvido por uma empresa alemã, utiliza um chip colocado no centro da bola que será captado por sensores instalados na pequena área.

O sistema Hawk-Eye usa seis câmeras instaladas nas extremidades do estádio para calcular a posição da bola de maneira tridimensional. Esse sistema, que acompanha a trajetória da bola, já é usado em jogos de tênis para esclarecer lances duvidosos.

Em um comunicado, a Fifa confirmou que a tecnologia não será usada pelos árbitros durante os jogos para definir se houve ou não um gol no caso de lances polêmicos e que geram dúvidas se a bola passou ou não a linha de gol.

A tecnologia da linha de gol já foi testada anteriormente na Copa do Mundo sub-17 no Peru, em 2005, e na Copa Mundial Interclubes do Japão, em 2007. Mas depois de muitos anos de debate, cresce a pressão para a Fifa introduzir essa tecnologia no futebol devido ao grande número de lances controversos.

O comitê executivo da Fifa deverá anunciar sua decisão sobre a adoção da tecnologia durante um encontro em Kiev, na Ucrânia, em julho, diurante a Eurocopa.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.