Acesso ao principal conteúdo
Paralímpiadas

Para-atletas brasileiros têm novas chances de medalhas em Londres

Terezinha Guilhermina, medalha de ouro nos 200m, disputa nesta terça-feira os 400m.
Terezinha Guilhermina, medalha de ouro nos 200m, disputa nesta terça-feira os 400m. REUTERS/Toby Melville

O Brasil tem novas chances de medalhas no sexto dia das Paralímpiadas em Londres, principalmente no atletismo e natação, modalidades que já garantiram ao país 10 medalhas. No futebol, a equipe brasileira bicampeã olímpica, enfrenta a China.

Publicidade

André Brasil, que já conquistou três medalhas, duas de ouro e uma de prata, volta à piscina hoje para disputar os 100m costas, modalidade em que é recordista mundial.

O nadador Daniel Dias, que já é campeão nos 50 e 200 metros livre, disputa os 100m peito. Ao todo, nove para-atletas da natação brasileira voltam à piscina hoje.

No atletismo, a corredora Terezinha Guilhermina pode conquistar sua segunda medalha nos 400 metros e Lucas Prado, o cego mais rápido do mundo, disputa a semifinal dos 200m rasos T ao lado de dois outros brasileiros, Felipe Gomes e Daniel Silva.

Outro destaque do dia vem da Bocha, com a final de pares mistos da classe BC4 entre Brasil e República Tcheca. No futebol de 5, a equipe brasileira bicampeã olímpica enfrenta a China. No vôlei, a seleção masculina sentada enfrenta também a China e precisa da vitória para se classificar.

No quadro de medalhas, o Brasil ocupa o oitavo lugar com 14 recompensas, sendo sete de ouro. A China é a líder com 112 medalhas.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Faça o download da aplicação

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.