Acesso ao principal conteúdo
Esporte/Copa das Confederações

Defesa, Neymar e torcida impulsionam boa campanha da seleção na Copa das Confederações

Manifestação contra as Copas das Confederações
Manifestação contra as Copas das Confederações

Com um sistema de marcação eficiente e Neymar jogando tudo o que sabe, Brasil passeia pelos dois primeiros adversários e enfrenta a Itália no sábado pela liderança do grupo.

Publicidade

Gustavo Ribeiro, em colaboração para a RFI

Luiz Felipe Scolari é tido como um técnico retranqueiro. De fato, a afirmação não é de todo incorreta. Mas a filosofia de Felipão de montar um time a partir da defesa é, talvez, o principal fator para que o ataque brasileiro, e seu principal nome, Neymar, tenham brilhado na Copa das Confederações. Com o setor defensivo funcionando de forma eficiente, sem levar gols nos últimos três confrontos, os jogadores de criação passam a ter mais liberdade.

Neymar, que fez dois golaços e deu um passe para Jô marcar na partida contra o México, é o maior beneficiado. A bela fase do atacante é influenciada também por fatores fora de campo. Segundo o analista esportivo Marcos Paulo Lima, a venda de Neymar para o Barcelona impulsionou o jogador a quebrar o jejum de 52 dias sem marcar. “O processo de negociação atrapalhou-o, ele não estava 100% focado em campo. Depois da venda dele para seu clube dos sonhos, é como se um peso tivesse sido tirado dele”, explica.

A torcida também tem um papel fundamental no processo. Acostumada a jogar na Europa, a seleção pode agora, pela primeira vez em décadas, verificar a importância que tem para o torcedor. Na partida contra o México, em Fortaleza, os jogadores se emocionaram quando a torcida quebrou o protocolo da FIFA e cantou o hino nacional até o final. Normalmente, apenas 90 segundos são tocados para cada país. “Os próprios mexicanos sentiram o ambiente diferente. Foi muito emocionante para todos no estádio. Isso dá uma motivação ainda maior aos jogadores”, comenta Marcos Paulo Lima.

O grande teste será no sábado, contra a Itália, em Salvador. Além da disputa pelo primeiro lugar, o vencedor evita pegar a Espanha nas semifinais. O time espanhol, mesmo com reservas, emplacou uma vitória de 10 a 0 contra a amadora seleção taitiana nesta quinta-feira.

 

selfpromo.newsletter.titleselfpromo.newsletter.text

selfpromo.app.text

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.